terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

O Mês em Resumo: Mês turbulento na política, capixabas vivem caos, gafe histórica no Oscar e acidentes mancham carnaval carioca

O quadro O Mês em Resumo traz os principais destaques de fevereiro.





A crise na segurança do Espírito Santo paralisou o estado nos primeiros dias do mês. A greve dos PMs que começou no dia 4 e só foi terminar no dia 25 e o saldo disso tudo foi uma verdadeira onda de violência que paralisou a Grande Vitória com 144 mortes. O governo decidiu mandar tropas federais para garantir a segurança da população. No Rio de Janeiro teve protesto de manifestantes na sede da Assembleia Legislativa contra o pacote fiscal. A Cedae foi privatizada para garantir o pagamento dos salários atrasados dos servidores.





Na política o ano começou pra valer com as eleições dos novos presidentes no Congresso. Eunício Oliveira foi eleito presidente do Senado e Rodrigo Maia foi reeleito para a Câmara dos Deputados.





No Supremo o ministro Edson Fachin foi escolhido em sorteio como novo relator da Lava Jato em lugar de Teori Zavascki que morreu em acidente aéreo no mês de janeiro. Ainda no Supremo Alexandre de Moraes deixará em março o Ministério da Justiça para se tornar ministro na vaga de Teori. No Ministério da Justiça sua vaga será ocupada pelo deputado Osmar Serraglio.



José Serra deixou o Ministério das Relações Exteriores alegando problemas de saúde. Esta foi a nona baixa em nove meses de governo Temer. Outra crise no governo envolveu a nomeação de Moreira Franco para a Secretaria Geral da Presidência.



A censura voltou a atacar. Os jornais O Globo e Folha de S. Paulo foram censurados pelo juiz Hilmar Raposo Filho e impedidos de veicular uma tentativa de extorsão de um hacker contra a primeira dama Marcela Temer, dias depois a censura foi derrubada.



A ex- primeira dama Marisa Letícia da Silva morre no dia 3 aos 66 anos. Ela foi vítima de um AVC hemorrágico, ela chegou a se recuperar, mas a hemorragia voltou forte e no dia 2 foi detectada a morte cerebral.



Um susto e tanto no Aeroporto de Congonhas no dia 22. Uma turbina do avião da Latam pegou fogo, mas o avião pousou sem sustos.



Quase sete anos depois o goleiro Bruno Fernandes deixou a cadeia. Um habeas corpus do ministro Marco Aurélio Mello libertou Bruno que foi condenadoà 22 anos de prisão em 2013 pelo assassinato de Eliza Samúdio. O crime ocorreu em junho de 2010 e seu corpo jamais foi encontrado.



No seu primeiro mês à frente dos Estados Unidos o presidente Donald Trump decretou o veto imigratório para sete países de origem muçulmana. Outra medida polêmica foi a barração de órgãos de imprensa à Casa Branca.



Pesquisadores descobriram um novo sistema planetário que foi batizado de Trappist - 1 com sete planetas que poderiam conservar água, essencial para a vida.



O racionamento de água em Brasília chega à região do Plano Piloto. Apesar das chuvas abundantes o nível dos reservatórios segue preocupante por isso o governo do Distrito Federal resolveu estender o racionamento até as áreas mais nobres.



Gafe histórica no Oscar. Na escolha de melhor filme do ano foi anunciado que o vencedor foi o filme La La Land, mas dois minutos e meio depois os produtores trouxeram o envelope certo e o vencedor foi Moonlight - sob a luz do luar. Apesar da gafe o musical venceu seis estatuetas.





O carnaval carioca ficará marcado por dois acidentes com carros alegóricos que deixaram 32 pessoas feridas. No primeiro dia o carro da Paraíso do Tuiutí se desgovernou e atingiu 20 pessoas, no segundo dia foi um carro alegórico da Unidos da Tijuca que caiu e deixou 12 pessoas feridas.





Menos de seis meses do fim dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos o parque olímpico da Barra se encontra abandonado. Fechado pela prefeitura o local se encontrava em estado de abandono. A piscina de aquecimento do parque aquático que foi usada pelos atletas se tornou criadouro do mosquito da dengue e da zika.



Numa virada histórica e sensacional o New England Patriots do quarterback Tom Brady conquista o Super Bowl pela quinta vez na história ao vencer o Atlanta Falcons por 34 x 28 com um touchdown no tempo extra.



O clássico Atletiba seria transmitido pelas redes sociais, só que não. Eles recusaram jogar por causa da falta de credenciamento e o clássico foi adiado.









Os mortos do mês foram Tzvetan Todorov (7 de fevereiro), filósofo búlgaro que finalizou o seu último livro O triunfo do artista, Orlandivo (8 de fevereiro), compositor autor de Bolinha de Sabão e inspiração para o artista Jorge Benjor nos anos 60, Fab Melo (11 de fevereiro), jogador de basquete que passou pela NBA, Al Jarreau (12 de fevereiro), ganhador de sete Grammys havia anunciado sua aposentadoria dos palcos, Edson Bueno (14 de fevereiro), fundador do plano de saúde Amil e Bill Paxton (25 de fevereiro), ator de filmes de destaque como Titanic e Twister.

O quadro retorna em março.

Virada no fim dá o título à Acadêmicos do Tatuapé



Integrantes da escola comemoram no Sambódromo logo após a apuração - Foto: Werther Santana/Estadão

Um ano depois de ser vice campeã a Acadêmicos do Tatuapé conseguiu uma virada sensacional no último quesito para derrubar a Dragões da Real que estava perto de levar seu primeiro troféu no Grupo Especial de São Paulo. Até o quinto quesito tudo levava a crer que a Império de Casa Verde levaria, mas a partir daí a Dragões assumiu a ponta e vinha liderando até o último quesito quando duas notas baixas derrubaram a escola e Tatuapé levou duas notas 10 para celebrar seu primeiro título. Em terceiro lugar veio a Vai Vai seguida da Império de Casa Verde. Foram rebaixadas a Águia de Ouro e a Nenê de Vila Matilde.

Outro acidente com carro alegórico marca definitivamente o carnaval carioca de 2017

O Carnaval carioca de 2017 vai ficar marcado negativamente pelos acidentes com carros alegóricos, primeiro com o carro da Paraíso do Tuiuti e agora com o carro da Unidos da Tijuca.

Pablo Jacob/Ag. O Globo



Integrante da Unidos da Tijuca é socorrida pelos bombeiros: segundo acidente em dois dias 

O acidente foi com o segundo carro alegórico logo no início do desflile quando parte da alegoria cedeu e atingiu vários integrantes. 20 pessoas foram atendidas e 12 ficaram feridas, 2 delas em estado grave. O acidente comprometeu a escola que ficou parada por 25 minutos e prejudicou a evolução. E não foi só a Tijuca que teve problemas. Um carro alegórico da União da Ilha ficou preso deixando buracos assim como um outro carro da Mangueira.

Márcio Mercante/Ag. O Dia e Márcio Alves/Ag. O Globo



"Contam… que o governante de um país. Dançava as noites tão feliz. E brincava mascarado. Do zum zum do carnaval. Bailou… como o astro-rei de um poema", diz trecho do enredo "Onisuáquimalipanse” (Envergonhe-se quem pensar mal disso) Márcio Alves / Agência O Globo

União da Ilha trouxe o candomblé e São Clemente trouxe o baile na Corte num desfile colorido

Fora isso a segunda noite do Grupo Especial carioca teve de tudo. A União da Ilha abriu a segunda noite de desfiles trazendo o candomblé de Angola, mas o problema com um de seus carros alegóricos deve fazer a escola perder pontos em evolução. Um baile na corte de Luís XIV, o Rei Sol foi tema do enredo da São Clemente que fez um desfile leve e colorido sob a assinatura da carnavalesca Rosa Magalhães.

Alexandre Cassiano/Ag. o Globo e Alexandre Durão/G1

Um Aladim sobrevoando a Avenida em um tapete voador - na verdade um aeromodelo sustentado por drone - ditou o tom da aposta da Mocidade para o terceiro desfile já na madrugada desta terça-feira: um verdadeiro teatro de ilusões Alexandre Cassiano / Agência O Globo



Um Aladin com seu tapete voou pela Sapucaí no desfile da Mocidade em contraste com o choro de um dos componentes da Unidos da Tijuca que corre sério risco de rebaixamento

As tradições do Marrocos foi tema do enredo da Mocidade Independente de Padre Miguel. O destaque ficou para a comissão de frente da escola que trouxe um tapete voador e vários homens vestidos de beduínos. A Unidos da Tijuca falou da influência da música americana, mas isso ficou pra segundo plano devido ao acidente.

Maíra Coelho/Ag. O Dia e Mônica Imbuzeiro/Ag. O Globo



O desfile da Mangueira

Portela e Mangueira empolgaram em seus desfiles, mas um problema na evolução pode afastar a verde e rosa da briga pelo bicampeonato

A Portela trouxe pra avenida os mitos e lendas da água doce no segundo carnaval de Paulo Barros. Fechando o desfile a Mangueira, atual campeã cantando os santos e orixás das regiões brasileiras numa procissão de cores e sons para mostrar mistura e a espiritualidade do país. No fim do desfile o povo foi pra avenida fechando um desfile que entra pra história da forma negativa. A apuração será nesta quarta feira e pelo menos cinco escolas são candidatas ao título.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Beija Flor e Salgueiro se destacam e acidente deixa 20 feridos

A primeira noite de desfiles no Sambódromo da Marquês de Sapucaí ficou marcada por um acidente que deixou 20 pessoas feridas e também por desfiles irregulares.

Wilson Aquino/Ag. O Dia



Fotógrafa ficou ferida em acidente com carro alegórico da Tuiuti que deixou 20 feridos

Abrindo os desfiles a Paraíso do Tuiutí trouxe muitas cores para falar de tropicalismo, só que um acidente pode comprometer o seu desempenho. Um carro alegórico se desgovernou e deixou 20 pessoas feridas, três delas em estado grave.

Marcelo Theobald e Pablo Jacob/Ag. O Globo

Rainha do carnaval baiano, Ivete Sangalo virou enredo da Grande Rio Marcelo Theobald / Agência O Globo

Apresentação resgatou a infância da artista, nascida em Juazeiro na Bahia Pablo Jacob / Agência O Globo

Ivete Sangalo e sua energia contagiaram o público no desfile da Grande Rio

Segunda escola a entrar na avenida a Acadêmicos do Grande Rio homenageou a cantora Ivete Sangalo que esbanjou energia ao sair primeiro na comissão de frente e depois no último carro alegórico. Muitas alegorias referentes ao axé deram a tônica.

Márcio Mercante/Ag. O Dia

Escola de Ramos fez um desfile quase perfeito, tanto nas alegorias, nas fantasias, no andamento da escola e na bateria

Cultura indígena foi o tema do enredo da Imperatriz Leopoldinense

A fauna e flora do Xingu e a cultura indígena foram temas do samba enredo da Imperatriz Leopoldinense que trouxe alas exuberantes e grandiosos carros. Cris Vianna se despediu como rainha de bateria.

Alexandre Durão/G1, Guito Moreto e Márcio Alves/Ag. O Globo



A rainha de bateria, Viviane Araújo Márcio Alves / Agência O Globo

Componentes da bateria animam Sapucaí Márcio Alves / Agência O Globo

Sabrina Sato esbanja beleza ao lado de integrantes da bateria com luzes de LED, no Salgueiro Viviane Araújo roubou a cena e Beija Flor inova sem alas num desfile que falou de Iracema

A influência negra foi tema de enredo da Vila Isabel. Do samba ao jazz, passando pelo rock, cumbia, reggae, tango e o candomblé a escola inovou na bateria com luzes de LED em seus componentes. Um derramamento de óleo atrasou o desfile da escola seguinte, o Salgueiro que lembrou outros carnavais celebrando A Divina Comédia de Dante Alighieri. Fechando o desfile a Beija Flor homenageou José de Alencar e o romance Iracema com plumas e cores além de inovar com blocos ao invés de alas. Nesta segunda mais seis escolas entram na avenida.

Musical La La Land leva mais estatuetas em noite de gafe monumental no Oscar







Na noite de ontem e madrugada de hoje ocorreu mais uma edição do Oscar, a festa do cinema, só que a edição de 2017 vai ficar marcada na história por uma gafe monumental. Na premiação de melhor filme os atores Warren Beatty e Faye Dunaway anunciaram que o filme vencedor foi La La Land - Cantando Estações, só que dois minutos depois quando a equipe já estava no palco pra receber a estatueta quando um outro envelope, esse sim correto anunciou que o vencedor foi Moonlight - sob a luz do luar. Apesar da gafe o musical que concorria em 14 indicações ganhou seis prêmios: melhor diretor para Damien Chazelle, o mais jovem diretor a ganhar o prêmio, atriz para Emma Stone, cançao original, trilha sonora, fotografia e design de produção. O melhor ator foi Casey Affleck por Manchester à beira mar. Viola Davis foi a melhor atriz coadjuvante por seu desempenho em Um limite entre nós e Mahershala Ali o melhor ator coadjuvante em Moonlight - Sob a luz do luar. O melhor filme estrangeiro foi O Apartamento do Irã e não faltaram alfinetadas ao presidente Donald Trump com protestos no tapete vermelho, com o apresentador Jimmy Kimmel e em uma carta o diretor do filme iraniano criticou Trump devido ao banimento de muçulmanos nos Estados Unidos.

Veja os premiados do Oscar 2017 em negrito:

Melhor Filme

  • "La la land: Cantando estações"
  • "A chegada"
  • "Até o último homem"
  • "Estrelas além do tempo"
  • “Lion: Uma jornada para casa”
  • "Moonlight: Sob a luz do luar"
  • "Um limite entre nós"
  • "A qualquer custo"
  • "Manchester à beira-mar"

Melhor atriz

  • Emma Stone ("La La Land - Cantando estações")
  • Natalie Portman ("Jackie")
  • Meryl Streep ("Florence: Quem é essa mulher?")
  • Ruth Negga (“Loving“)
  • Isabelle Huppert ("Elle")
  • Melhor ator

    • Casey Affleck (“Manchester a beira mar”)
    • Denzel Washington (“Um limite entre nós”)
    • Ryan Gosling (“La La Land – Cantando estações”)
    • Andrew Garfield (“Até o Último Homem”)
    • Viggo Mortensen (“Capitão Fantástico")

    Melhor diretor

    • Dennis Villeneuve ("A chegada")
    • Mel Gibson ("Até o último homem")
    • Damien Chazelle ("La la land: Cantando estações")
    • Kenneth Lonergan ("Manchester à beira-mar")
    • Barry Jenkins ("Moonlight: Sob a luz do luar")

    Melhor ator coadjuvante

    • Mahershala Ali ("Moonlight: Sob a luz do luar")
    • Jeff Bridges ("A qualquer custo")
    • Lucas Hedges ("Manchester à beira-mar")
    • Dev Patel (“Lion: Uma jornada para casa”)
    • Michael Shannon ("Animais noturnos")
    • Melhor atriz coadjuvante

      • Viola Davis ("Um limite entre nós")
      • Naomi Harris ("Moonlight: Sob a luz do luar")
      • Nicole Kidman (“Lion: Uma jornada para casa”)
      • Octavia Spencer ("Estrelas além do tempo")
      • Michelle Williams ("Manchester à beira-mar")

      Melhor filme em língua estrangeira

      • "O apartamento" – Irã
      • "Terra de minas" – Dinamarca
      • "Um homem chamado Ove" – Suécia
      • "Tanna" – Austrália
      • "Toni Erdmann" – Alemanha

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Kurt Busch vence de forma espetacular em Daytona









A temporada 2017 da NASCAR Monster Energy Cup Series começou de forma espetacular para Kurt Busch da Stewart Haas. Ele soube poupar equipamento e nas últimas voltas da prova contou com a falta de combustível de Chase Elliott que caminahva pra vencer faltando três voltas pro fim e ganhar a edição de número 59 das 500 milhas de Daytona. A corrida foi um festival de demolição que em dois Big Ones tiraram vários favoritos da prova, dentre eles Kyle Busch que venceu o primeiro segmento ao se envolver em acidente que também tirou da prova Dale Earnhardt Jr. Nem mesmo o heptacampeão Jimmie Johnson escapou do muro e também saiu da prova. Os cinco primeiros em Daytona: Kurt Busch, Ryan Blaney, AJ Allmendinger, Aric Almirola e Paul Menard. A temporada prossegue no próximo fim de semana com a etapa de Atlanta.

Segundo dia de desfiles é marcado por atrasos em São Paulo

A segunda noite de desfiles em São Paulo foi marcada pelo atraso de uma hora no desfile da Nenê de Vila Matilde, última escola a desfilar. Dentre as escolas, destaque para a atual campeã Império de Casa Verde.

Alan Morici/G1



Império de Casa Verde falou sobre a paz entre os homens e se credencia ao bicampeonato

A Mancha Verde homenageou os Josés mais famosos do Brasil de Zé Pereira até Zé Celso, depois a Unidos do Peruche veio falando da cultura baiana com carros alegóricos bem pesados. A paz e a união dos homes foi o tema do enredo da Império de Casa Verde. A escola campeã do carnaval passado trouxe carros luxuosos e vem forte pra brigar pelo bi.

Bruno Santos/Folhapress

Destaques do 2º dia de desfiles de São Paulo

Funcionários da Prefeitura de São Paulo trabalham na secagem da pista de desfle devido ao atraso da Vai Vai que levou uma hora pra ser concluído

O Nordeste foi tema da Dragões da Real, na sequência a Vai Vai homenageou os orixás, dentre eles Mãe Menininha do Gantois, só que a escola se complicou e na correria conseguiu cumprir o tempo de desfile e a pista ficou molhada e escorregadia. A Nenê de Vila Matilde entrou uma hora depois e falou de Curitiba. Fechando o desfile a Rosas de Ouro trouxe a importância do banquete no convívio das pessoas.

A apuração será na terça feira e pelo menos três escolas são favoritas a levar o título: Casa Verde, Tatuapé e Dragões da Real.