segunda-feira, 30 de junho de 2014

Alemanha sai do sufoco, vence Argélia e encara França nas quartas

André Feltes e Ricardo Duarte/ZH, Darren Staples, Edgar Garrido e Stefano Rellandini/Reuters



(Ricardo Duarte/Agencia RBS)

No início da prorrogação, o alemão Schuerrle abriu o placar Foto: EDGARD GARRIDO / REUTERS

No lance, camisa 9 alemão tocou sem chances para M'Bolhi Foto: STEFANO RELLANDINI / REUTERS



Alemanha sofreu, mas conseguiu bater a Argélia com gols de Schurrle e Özil

A Alemanha teve muito trabalho, mas a Argélia mostrou aplicação tática e determinação, segurou o ímpeto alemão até onde deu e quase levou o jogo até os pênaltis. Depois de um 0 x 0 nos 90 minutos a Alemanha precisou da prorrogação para definir um jogo difícil na despedida do Beira Rio da Copa. O técnico argelino armou um esquema tático com contra ataques mortais. O goleiro Neuer teve de jogar como líbero e salvou dois lances de perigo. No segundo tempo o técnico alemão sacou Götze e lançou Schurrle, mas a tática argelina seguiu funcionando bem e o goleiro M'Bolhi começava a pegar tudo. O jogo então foi pra prorrogação e a Alemanha precisou de apenas um minuto para mudar a história da partida. No cruzamento de Thomas Müller a bola encontrou Schurrle que completou de letra, rasteiro. A reação argelina parou no segundo tempo da prorrogação e pertinho do fim a Alemanha chegou ao segundo gol. Uma rápida troca de passes e depois do rebote do goleiro a bola sobrou para Özil que completou. Djabour ainda fez o gol da Argélia, mas não dava mais tempo. A Alemanha agora encara a França sexta feira no Maracanã num jogo que promete.

ALEMANHA 2 X 1 ARGÉLIA
Data: 30 de junho de 2014
Horário: 17h00 (de Brasília)
Local: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (BRA)
Assistentes: Emerson de Carvalho (BRA) e Marcelo Van Gasse (BRA)
Cartões amarelos: Halliche, aos 41 min. do 2°t (ALG); Lahm, aos 2 min. do 2°t da prorrogação (ALE)
Gols: Schürrle, a 1 min. do 1° t da prorrogação, Özil, aos 14 min. do 2°t da prorrogação (ALE); Djabou, aos 16 min. do 2°t da prorrogação (ALG)
ALEMANHA: Neuer; Höwedes, Boateng, Mertesacker e Mustafi (Khedira, aos 24 min. do 2°t); Lahm, Schweinsteiger (Kramer, aos 4 min. do 2°t da pror), Kroos, Götze (Schürrle, no intervalo) e Özil; Müller
Técnico: Joachim Löw
ARGÉLIA: M'Bolhi; Mandi, Mostefa, Halliche (Bouguerra, aos 6 min. do 1° t da pror.), Belkalem e Ghoulam. Lacen, Feghouli, Taider (Brahimi, aos 32 min. do 2°t) e Soudani (Djabou, aos 9 min. do 1°t da pror.); Slimani
Técnico: Vahid Halilhodzic

Blitz dá resultado e França despacha Nigéria

Daniel Ferreira/CB Press/DA, Ueslei Marcelino, Siphiwe Sibeko e David Gray/Reuters, Hassan Ammar/AP



Pogba (à direita) aproveita o rebote e marca o primeiro da França Foto: DAVID GRAY / REUTERS



Benzema pula sobre companheiros para comemorar o gol de Pogba contra a Nigéria Foto: UESLEI MARCELINO / REUTERS



Blitz francesa dá certo e Bleus abatem as Superáguias da Nigéria

Grande sensação da copa com um futebol objetivo a França sofreu boa parte da partida, mas nos 15 minutos finais conseguiu bater a Nigéria por 2 x 0 no Mané Garrincha e agora está nas quartas. A seleção africana dominou boa parte da partida que foi bem aberta com as duas equipes disputando um jogo franco com chances de cada lado. Os nigerianos tiveram maior posse de bola e ainda teve um gol de Emenike anulado. No segundo tempo os nigerianos tiveram novas chances de gol e a França exerceu forte pressão a partir da metade do segundo tempo e o goleiro Enyeama teve de se virar para defender. De tanto insistir a França chegou ao primeiro gol. Na cobrança de escanteio a bola cruzou a área e Enyeama falhou. Aí Pogba cabeceou livre e consciente para abrir o placar. A Nigéria foi pro desespero e acabou cedendo espaços, o que foi fatal. No cruzamento da direita, o zagueiro Yobo tentou cortar a bola, mas acabou marcando contra. A França espera o ganhador do confronto entre Alemanha e Argélia que se enfrentam ainda hoje.

FRANÇA 2 x 0 NIGÉRIA
França: Lloris; Debuchy, Varane, Koscielny e Evra; Matuidi, Pogba, Cabaye e Valbuena (Sissoko); Giroud (Griezmann) e Benzema. Técnico: Didier Deschamps
Nigéria: Enyeama; Ambrose, Oshaniwa, Yobo e Omeruo; Mikel, Onazi (Reuben Gabriel), Musa, Moses (Uche Nwofor) e Odemwingie; Emenike. Técnico: Stephen Keshi
Data: 30/06/2014 - 13h
Local: Mané Garrincha (Brasília)
Árbitro: Mark Geiger (EUA)
Auxiliares: Mark Sean Hurd e Joe Fletcher (EUA)
Cartão amarelo: Matuidi (França)
Gols: Pogba, aos 34 min, e Yobo (contra) aos 46 min do 2º tempo

domingo, 29 de junho de 2014

Costa Rica volta a fazer história e chega entre os oito melhores da Copa

Adrian Dennis, Ronaldo Schmidt e Pedro Ugarte/AFP, Petr David Josek e Martin Meissner/AP

Keylor Navas defendeu uma cobrança de pênalti e foi novamente o herói da Costa Rica Foto: PEDRO UGARTE / AFP

O costarriquenho Bryan Ruiz ergue o braço ao comemorar o gol que abriu o placar Foto: Petr David Josek / AP



Keylor Navas, da Costa Rica, voa para defender o pênalti de Fanis Gekas Foto: RONALDO SCHEMIDT / AFP

Adrian Dennis/AFP

Costa Rica supera Grécia e o goleiro Navas vira herói na cobrança defendida de Gekas

Antes da Copa do Mundo começar muita gente não apostava na seleção da Costa Rica que deu azar de cair no Grupo da Morte com três campeões mundiais, mas nada que se coloca na teoria funciona na prática. A seleção da América Central despachou italianos, uruguaios e ingleses terminando o Grupo D na frente e agora eles voltam a fazer história. Num jogo cheio de alternativas a Arena Pernambuco se despediu da Copa com um jogo empolgante e no final a Costa Rica eliminou a Grécia nos pênaltis. Só que no primeiro tempo o jogo se tornou enfadonho e ruim com muitos erros. A segunda etapa foi empolgante e os costarriquenhos abriram o placar com Bryan Ruiz na jogada característica desse time, a troca de passes em velocidade. O gol fez os helenicos saírem pro jogo e quando tudo caminhava pra classificação da Costa Rica, a Grécia foi buscar o empate que veio perto nos acréscimos. Salpingidis girou, bateu forte, o goleiro deu rebote e Sokrates Papashtatopoulos aproveitou o rebote e empatou o jogo. A partida foi pra prorrogação e nada de gol nos 30 minutos extras e a partida foi pras cobranças de pênaltis. Na quarta cobrança grega Navas pegou o chute de Gekas e Umaña cobrou bem o pênalti final e colocou a Costa Rica no mapa do futebol estando entre as oito melhores equipes da Copa. Um feito e tanto para um país que de suposto saco de pancadas se transformou na maior zebra deste mundial. Agora os costarriquenhos tentam fazer história novamente no próximo sábado em Salvador quando vai enfrentar a Holanda.

COSTA RICA 1 (5) X (3) 1 GRÉCIA
Data: 29 de junho de 2014
Horário: 17h00 (de Brasília)
Local: Arena Pernambuco, em Recife (PE)
Árbitro: Benjamin Williams (AUS)
Assistentes: Matthew Cream (AUS) e Hakan Anaz (AUS)
Cartões amarelos: Samaris, aos 35 min. do 1°, Manolas, aos 26 min. do 2°t (GRE); Duarte, aos 42 min. do 1°t, Tejeda, aos 3 min., Granados - no banco -, aos 10 min., Ruiz, aos 25 min., Navas, aos 44 min. do 2°t (CRC)
Cartão vermelho: Duarte, aos 21 min. do 2°t (CRC)
Gols: Bryan Ruiz, aos 6 min. do 2°t (CRC); Papastathopoulos, aos 45 min. do 2°t (GRE)
COSTA RICA: Navas; Gamboa (Acosta, aos 31 min. do 2°t), Gonzalez, Umaña, Duarte e Diaz; Bolaños (Brenes, aos 39 min. do 2°t), Borges, Tejeda (Cubero, aos 20 min. do 2°t) e Bryan Ruiz; Joel Campbell
Técnico: Jorge Luís Pinto
GRÉCIA: Karnezis; Holebas, Papastathopoulos, Manolas e Torosidis; Maniatis (Katsouranis, aos 32 min. do 2°t), Karagounis, Samaris (Mitroglou, aos 12 min. do 2°t) e Christodoulopoulos; Salpingidis (Gekas, aos 24 min. do 2°t)  e Samaras
Técnico: Fernando Santos

Simon Pagenaud vence a segunda prova de Houston


A segunda bateria em Houston terminou com vitória francesa. Simon Pagenaud da equipe Schmidt venceu a corrida com Mikhail Aleshin em segundo fazendo a dobradinha da equipe e Jack Hawktsworth em terceiro. Tony Kanaan terminou em 10º e Hélio Castroneves que fez a pole e liderou boa parte da prova acabou abandonando depois de acidente sendo envolvido junto de Sebastién Bourdais. O campeonato segue no próximo fim de semana com a etapa de Pocono.

Holanda vira e elimina o México de forma espetacular

Felipe Dana e Javier Soriano/AP, Damien Meyer e Yuri Cortez/AFP e Mike Blake/Reuters

Giovani dos Santos celebra depois de abrir o placar contra a Holanda Foto: Felipe Dana / AP

Wesley Sneijder celebra após marcar o primeiro gol da Holanda na vitória sobre o México Foto: DAMIEN MEYER / AFP



O atacante Huntelaar vibra após marcar o pênalti que deu a vitória à Holanda sobre o México e garantiu a participação do time nas quartas de final da Copa Foto: JAVIER SORIANO / AFP



México saiu na frente, mas em oito minutos Holanda consegue a virada com gol marcado nos acréscimos

Parecia que o México ficaria com a vaga para as quartas de final da Copa e até os 43 minutos do segundo tempo estava com a vaga na mão. Foi aí que o talento dos jogadores da Holanda entrou em campo. O México vencia o jogo por 1 x 0, gol marcado por Giovani dos Santos. O calor intenso de 32º em Fortaleza fez com que o árbitro paralisasse a partida duas vezes para hidratação. Os mexicanos tiveram as melhores oportunidades no primeiro tempo e eperavam os erros holandeses. No começo da segunda etapa o México abriu o placar com um belo chute de fora da área de Giovani dos Santos. Depois a Holanda passou a dominar as ações encurralando o México em seu campo de defesa e o técnico Herrera colocou Aquino e tirou Giovani dos Santos para reforçar a defesa e acabou custando caro. Aos 43 minutos a classificação mexicana era quase certa, mas em bola cruzada por Robben a bola atravessou a área, a zaga cortou mal e Sneijder soltou a bomba pra empatar o jogo. A Holanda chegou à virada nos acréscimos. Robben invadiu a área e foi derrubado por Rafa Marquez. Pênalti cobrado e convertido por Huntelaar. Um castigo para o México que se preocupou em se defender e garantir o resultado e um prêmio para a persistência da Holanda que segue para as quartas de final e espera o vencedor de Grécia e Costa Rica.

HOLANDA 2 X 1 MÉXICO
Data: 29/06/2014 - 13h
Local: Castelão (Fortaleza)
Árbitro: Pedro Proença (POR)
Auxiliares: Bertino Miranda e Jose Trigo (Ambos de Portugal)
Cartões amarelos:  Aguilar e Guardado (MEX)
Gols: Giovani dos Santos (MEX), aos 3 minutos do 2º tempo, Sneijder (HOL), aos 44 minutos do 2º tempo e Snejider, aos 47 minutos do 2º tempo. 
Holanda: Cillessen, Vlaar, De Vrij, Blind, De Jong (Bruno Indi), Van Persie (Huntelaar), Sneijder, Robben, Verhaegh (Memphis), Kuyt, Wijnaldum.
Técnico: Van Gaal
México: Ochoa, Rodriguez, Salcido, Marquez, Herrera, Layun, Dos Santos (Aquino), Moreno (Reyes), Guardado, Peralta (Hernandéz), Aguilar
Técnico: Miguel Herrera

Brad Keselowski domina e Penske triunfa no Kentucky

Kentucky Sprint Cup results

Keselowski reigns in Kentucky





A equipe de Roger Penske dominou 88% das 267 voltas da corrida do Kentucky, uma boa parte com Joey Logano e a maioria lideradas por Brad Keselowski que dominou a prova e venceu a etapa chegando à segunda vitória na temporada. Kyle Busch tentou atrapalhar o domínio do carro número 2, mas foi em vão e teve mesmo que se contentar com a segunda colocação na corrida. Fechando o grupo dos cinco primeiros aparecem Ryan Newman, Matt Kenseth e Dale Earnhardt Jr. Jeff Gordon mantém a liderança da temporada que chega à sua metade no próximo fim de semana no tradicional feriado de 4 de julho, o dia da independência americana com a segunda corrida em Daytona.


A Bela do Domingo: Letícia Medina

O quadro A Bela do Domingo de hoje traz a atriz Letícia Medina.



Carioca de Volta Redonda nascida em 12 de maio de 1997 iniciou sua carreira aos 5 anos na minissérie O Quinto dos Infernos no papel de Carlota Joaquna criança, um ano depois em Agora é que são elas interpretou Marli. Participou de Malhação em 2004, Sitcom.br em 2005 e no especial de 20 anos de Xuxa na Globo em 2006.







BEATRIZ

Mas sua carreira se consolidou mesmo foi na Record a partir de 2005 quando fez a novela Prova de Amor no papel de Marcela Marinho, depois em Bicho do Mato foi Maria Margarida, na saga Caminhos do Coração e Os Mutantes no papel de Tati, Diana em Ribeirão do Tempo e Taís em Balacobaco. Agora está de volta no papel de Beatriz em Vitória, o seu primeiro papel adulto em uma carreira meteórica de apenas 12 anos.

Semana que vem tem mais.

sábado, 28 de junho de 2014

Pódio 100% colombiano na Indy


Um sábado de orgulho nas alturas para o povo da Colômbia. Não só no futebol com sua seleção, mas também na Indy com um pódio totalmente colombiano na primeira bateria da etapa de Houston. A vitória foi de Carlos Huertas com Juan Pablo Montoya em segundo e Carlos Muñoz em terceiro. Os dois pilotos brasileiros não foram muito felizes. Tony Kanaan estava em terceiro quando na última relargada foi tocado por Graham Rahal e acabou em 13º lugar e Hélio Castroneves foi o nono colocado. Will Power, mesmo terminando a prova em 14º lugar mantém a liderança da temporada que prossegue neste domingo com a segunda corrida em Houston.

O Belo do Sábado: Gabriel Sater

O quadro O Belo do Sábado de hoje traz o músico e ator Gabriel Sater.



Nascido em 27 de novembro de 1981 é filho do violeiro Almir Sater, e apesar de nascer em São Paulo tem forte influência do Pantanal mato grossense. Iniciou carreira artística aos 19 anos através do instrumentista Cristiano Koftinski.









Gravou dois discos: Gabriel Sater instrumental e A Essência do Amanhecer. Este ano é convidado para atuar pela primeira vez e o músico está no ar em Meu Pedacinho de Chão no papel de Viramundo.

Semana que vem tem mais.

Adiós Uruguai: Colômbia expulsa o fantasma de vez do Maraca e pega Brasil nas quartas

Rafael Moraes e Marcelo Carnaval/Ag. O Globo, Sergio Moraes e Kai Pfaffenbach (2)/Reuters

Aos 27 minutos do primeiro tempo, o colombiano James Rodriguez acertou um belo chute e abriu o placar Foto: KAI PFAFFENBACH / REUTERS

James Rodriguez comemora com a torcida o golaço no Maracanã Foto: KAI PFAFFENBACH / REUTERS







James Rodriguez marca dois belos gols e assume artilharia da Copa

64 anos depois o Uruguai reencontrava o Maracanã e o fantasma de 50 ainda estava vivo, mas do outro lado tinha a Colômbia e os Cafeteros seguem fazendo história. Em tarde inspirada de James Rodriguez que na minha modesta opinião tem tudo pra ser o craque da Copa a seleção colombiana eliminou a Celeste Olímpica com dois belos gols do camisa 10 colombiano. O primeiro deles, um golaço onde pegou de primeira de fora da área e encobriu Muslera. O segundo gol foi de oportunismo e com esses dois gols assume a artilharia da competição com cinco gols. Ao Uruguai resta um adeus e o exorcismo total dos fantasmas. A Colômbia agora é o próximo adversário do Brasil nas quartas de final sexta feira em Fortaleza.

COLÔMBIA 2 X 0 URUGUAI
Data: 28/06/2014 - 17h
Local: Maracanã (Rio de Janeiro)
Árbitro: Bjorn Kuipers (HOL)
Auxiliares: Sander Van Roekel (HOL) e Erwin Zeinstra (HOL)
Cartões amarelos: Gimenez, Lugano (Uruguai); Armero (Colômbia)
Gols: James Rodríguez, aos 28min, do 1º tempo e aos 4min do 2º tempo
Público: 73.804 pessoas
Colômbia: Ospina; Zuniga, Zapata, Yepes e Armero; Carlos Sánchez, Aguilar, Cuadrado (Guarín) e James Rodríguez (Ramos); Teófilo Gutiérrez (Meria) e Jackson Martínez
Técnico: Jose Pekerman
Uruguai: Muslera; Cáceres, Giménez e Godín; Maxi Pereira, Arévalo Rios, González (Hernandez), Rodríguez (Ramos) e Álvaro Pereira (Ramirez); Forlán (Stuani) e Cavani
Técnico: Oscar Tabarez

Atuações: Júlio César se redime e é o herói

Hora de avaliar os jogadores depois de mais uma partida da seleção brasileira na Copa:

André Mourão/Ag. O Dia



- Júlio César: Voltou a ser o gigante que a torcida espera, fez defesas sensacionais e foi premiado com dois pênaltis defendidos. Pagou 2010 com juros: 10
- Daniel Alves: Ainda não deslanchou nesta Copa, mais uma vez as jogadas do adversário saíram pelo seu setor: 5
- Thiago Silva: Vem fazendo atér aqui uma Copa impecável e não perdeu nenhuma dividida: 8
- David Luiz: Mostrou a velha segurança de sempre e foi recompensado com o seu gol além de converter muito bem o seu pênalti: 7
- Marcelo: Divide a parcela de culpa com Hulk no gol chileno e ficou preso na marcação: 5
- Luiz Gustavo: Cumpriu bem sua função na defesa, mas exagerou nas faltas e acabou tomando o segundo amarelo e fica de fora do jogo das quartas: 5
- Fernandinho: Não repetiu a mesma atuação do segundo tempo do jogo contra Camarões, mas deu segurança á defesa: 6
- Oscar: Caiu pro lado direito e acabou produzindo pouco na parte ofensiva: 5. Willian entrou em seu lugar e pouco fez de produtivo e pra piorar errou sua cobrança de pênalti: 5
- Hulk: Pelo espírito de luta e por criar as melhores chances 7, mas por falhar no gol chileno e perder o pênalti, 5. Na média nota 6
- Neymar: No primeiro tempo apanhou, mas esteve bem, no segundo tempo foi pouco notado por causa da marcação: 6
- Fred: Mais uma vez o centroavante brasileiro foi pouco produtivo. Não faz uma boa Copa: 4
- Ramires: Pecou nas saídas de bola e errou nos passes: 5
- : Teve mais mobilidade que Fred e perdeu um gol feito na prorrogação: 5

No Chile destaques para o goleiro Bravo, o zagueiro Francisco Silva e o atacante Alexis Sanchez que mesmo fazendo seu gol perdeu o pênalti parando em Júlio César.

O árbitro inglês Howard Webb acabou tendo pouca influência no resultado ao marcar equivocadamente um gol de Hulk que foi anulado, no mais uma atuação tranquila.

Sofrido e emocionante: Júlio César é herói e Brasil passa ás quartas com sofrimento

Jefferson Bernardes/Vipcomm, Mexsport, André Mourão (2)/Ag. O Dia, Sergio Perez, Leonhard Foeger, Eric Gaillard e Pool/Reuters, Manu Fernandez, Martin Meissner e Hassan Ammar/AP, Fabrice Coffini/AFP, Ivo Gonzalez (2)/Ag. O Globo, Wilton Junior e Eduardo Nicolau/AE e Jefferson Botega/ZH

Júlio César se emociona mesmo antes da cobrança de pênaltis; defesas do goleiro levaram Brasil para a próxima fase da Copa

A bola bate em David Luiz e entra no gol chileno Foto: Hassan Ammar / AP

David Luiz corre para comemorar o go do Brasil Foto: Martin Meissner / AP

David Luiz abre o placar contra o Chile e corre para comemorar seguido de Fred Foto: Ivo Gonzalez / Ivo Gonzalez







Alexis Sanchez marcou o gol de empate após bobeira da defesa brasileira Foto: Manu Fernandez / AP



Brasil teve que decidir vaga nas penalidades





Julio Cesar fez duas defesas na decisão por pênaltis contra o Chile

Julio Cesar pega o chute de Alexis Sanchez Foto: Manu Fernandez / AP

MEXSPORT







Júlio César se redime de 2010 e com duas defesas ajuda o Brasil a se classificar para as quartas de final

Foi uma batalha que levou todo mundo ao limite dos nervos, mas no fim o torcedor extravasou o grito e pulou de alegria. O Brasil sofreu, mas venceu o Chile na decisão por pênaltis. Quem pensava que o Chile seria um adversário fácil acabou se dando mal, pois a equipe montada por Jorge Sampaoli foi um adversário leal e jogando de igual pra igual pois não se escondeu do jogo em nenhum momento. O Brasil começou o jogo buscando as ações trazendo de volta o espírito de Copa das Confederações e chegou ao gol aos 17 minutos. No escanteio cobrado por Neymar a bola cruzou a área e encontrou o zagueiro David Luiz que escorou meio emprensado e a bola bateu em Jara, mas a FIFA deu gol ao brasileiro. O time era melhor em campo, mas numa falha de Marcelo e Hulk, Vargas cruzou e Alexis Sanchez entrou livre e empatou o jogo chutando sem chance de defesa pra Júlio César. No segundo tempo o jogo ganha ares de dramaticidade com chances dos dois lados. O Brasil teve um gol de Hulk anulado, pois segundo a arbitragem ele ajeitou com o braço. O Chile deu a resposta com Aránguiz e Júlio César interveio em grande defesa. Nos 30 minutos da prorrogação as duas equipes sentiram o cansaço e os espaços surgiram. Hulk teve a melhor chance, mas Bravo pegou, no segundo tempo o Brasil exerceu uma blitz na área chilena, mas a grande chance foi do Chile com Pinilla que chutou no travessão. Depois de 120 minutos o jogo foi pras cobranças de pênaltis. David Luiz converteu o primeiro para o Brasil, depois Júlio César pegou o primeiro pênalti cobrado por Pinilla, já Willian chutou pra fora a segunda cobrança brasileira, mas Júlio César foi gigante e defendeu a cobrança de Alexis Sanchez. Marcelo fez o segundo gol brasileiro, Aránguiz também fez o seu, na quarta cobrança brasileira Hulk parou em Bravo, Marcelo Diaz empatou, Neymar converteu a quinta cobrança e Gonzalo Jara chutou na trave gerando explosão e alegria no Mineirão. Agora é quartas de final, e Fortaleza nos espera.

BRASIL 1 (3) X (2) 1 CHILE
Brasil: Júlio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Fernandinho (Ramires) e Oscar (Willian); Hulk, Neymar e Fred (Jô). Técnico: Luiz Felipe Scolari

Chile: Bravo; Medel (Rojas), Francisco Silva e Jara; Isla, Marcelo Díaz, Aránguiz, Vidal (Pinilla) e Mena; Vargas (Felipe Gutiérrez) e Alexis Sánchez. Técnico: Jorge Sampaoli
Data: 28/06/2014 - 13h
Local: Mineirão (Belo Horizonte)
Árbitro: Howard Webb (ING)
Auxiliares: Michael Mullarkey e Darren Cann (ING)
Cartões amarelos: Hulk, Luiz Gustavo, Jô e Daniel Alves (Brasil); Mena, Francisco Silva e Pinilla (Chile)
Gols: David Luiz, aos 17 min, e Alexis Sánchez aos 31 min do 1º tempo