domingo, 28 de dezembro de 2014

Retrospectiva 2014: Mais um ano do domínio de Minas e o racismo marcam o cenário nacional

Para fechar a Retrospectiva 2014 o nosso último assunto é futebol. A temporada mais uma vez foi dos mineiros que dominaram o cenário nacional e de quebra levaram o Brasileirão e a Copa do Brasil. Mas também ficou marcada pelos atos racistas que abalaram as estruturas.

Estaduais curtos e campeões por todo o país




Luziânia conquistou o Candangão pela primeira vez 

No começo do ano os campeonatos estaduais foram disputados em prazo curto: três meses de disputa. Mas teve campeonato que se estendeu até às vésperas da Copa do Mundo, foi o caso do Candangão. O campeonato de futebol de Brasília só foi terminar no dia 17 de maio. Disputas judiciais e liminares acabaram atrapalhando o andamento da competição. A final foi disputada entre Luziânia e Brasília com os dois jogos sendo realizados no Mané Garrincha, palco da Copa do Mundo. E o Luziânia fez história ao ser campeão vencendo o Brasília por 3 x 2 no primeiro jogo e perdendo o segundo por 1 x 0, mas levou o título por ter feito a melhor campanha durante o campeonato.









Cruzeiro, Inter, Flamengo e Ituano foram campeões nos principais centros do país

Pelo Brasil os campeões estaduais foram conhecidos em abril. No Ceará o Vozão conquistou seu 43º título estadual da história e o tetracampeonato consecutivo ao empatar com o Fortaleza. Em Pernambuco o Sport levou o estadual depois de quatro anos ao vencer o Náutico por 1 x 0. No campeonato baiano deu Bahia que venceu o Vitória na final. Em Goiás o título foi do Atlético Goianiense que venceu o Goiás na final. No Paraná o Londrina voltou a comemorar um título estadual depois de 22 anos ao vencer o Maringá nos pênaltis. Em Santa Catarina o campeão foi o Figueirense. O Cruzeiro interrompeu o domínio de dois anos do Atlético Mineiro e conquistou o estadual de forma invicta. O Internacional conquistou o tetracampeonato seguido com direito à goleada diante do Grêmio na final por 4 x 1. Em São Paulo a zebra deu o ar da graça. O Ituano passou por cima dos grandes e na final bateu o Santos nos pênaltis por 7 x 6 conquistando seu segundo título da história. No Rio de Janeiro o campeão da temporada foi o Flamengo que conquistou seu 33º título estadual da história com dois empates diante do Vasco. O gol do título foi marcado por Márcio Araújo em posição irregular.



Brasília levou a Copa Verde e esperou sete meses para ratificar na justiça o que fez em campo

A Copa Verde foi realizada pela primeira vez e o Brasília foi o campeão em campo e no tapetão. O Paysandu perdeu tanto na bola como nas instâncias judiciais. O Colorado do DF venceu o jogo nos pênaltis, mas o Papão entrou com liminares alegando que seis jogadores do Brasília estavam irregulares, o que foi provado que foi um erro da CBF. O STJD aceitou as explicações e o Brasília foi confirmado como campeão e vai jogar a Copa Sul Americana de 2015.

O time do ano na Europa e no mundo





Campeão na Champions e no Mundial só deu Real Madrid

Uma máquina de ganhar títulos. O Real Madrid foi o grande time da temporada ao levantar os troféus da Liga dos Campeões da Europa e do Mundial de Clubes. O time treinado por Carlo Ancelotti vem fazendo história na atual temporada que só termina em 2015. Até o jogo contra o San Lorenzo os merengues conquistaram 22 vitórias seguidas e estão a três de superar a marca mundial que pertence ao Coritiba desde 2011. Para chegar ao décimo título da Champions League o Real superou o Atlético de Madrid numa final eletrizante. O time de Simeone estava com o título na mão até os 48 minutos do segundo tempo quando Sérgio Ramos cabeceou e levou o jogo pra prorrogação. Nos 30 minutos extras o time do Atlético cansou e o Real se aproveitou disso marcando três gols. Cristiano Ronaldo chegou este ano a incrível marca de 74 gols na Liga. Em dezembro o Real chegou a seu quarto título mundial ao vencer o San Lorenzo da Argentina por 2 x 0.



O Atlético de Madrid renasceu e se tornou campeão espanhol depois de 18 anos ao empatar com o Barcelona no último jogo. Foi o décimo título nacional conquistado pela equipe madrilhenha. Na Inglaterra o Manchester City conquistou seu quarto título inglês na história. Na Alemanha o Bayern de Munique levou a Bundesliga com sete rodadas de antecipação, na Itália deu Juventus e na França o título da temporada foi do Paris Saint Germain.

San Lorenzo leva a Libertadores e River Plate leva a Sul Americana





Só deu Argentina na América do Sul: San Lorenzo enfim foi campeão na Libertadores e na Sul Americana deu River Plate

O futebol argentino recuperou a hegemonia no continente e levou os dois títulos continentais num grande ano. Depois de 23 anos o futebol brasileiro ficou de fora das fases finais da Libertadores. No começo eram seis times, mas nenhum deles chegou à semifinal. Botafogo e Atlético Paranaense passaram pela Pré Libertadores, mas na fase de grupos ambos ficaram pelo caminho. O Furacão foi eliminado ao perder para o The Strongest na Bolívia e o Botafogo seria o primeiro time a ser eliminado pelo San Lorenzo. Já o Flamengo caiu diante do León no Maracanã e também saiu na fase de grupos. Sobraram Atlético Mineiro, Cruzeiro e Grêmio que seguiram nas oitavas. O Galo, campeão de 2013 foi eliminado pelo Nacional de Medellín enquanto que o San Lorenzo aprontou de novo e venceu o Grêmio nos pênaltis. Sobrou apenas o Cruzeiro, mas o time do Papa Francisco acabou com o sonho da Raposa eliminando os mineiros nas quartas de final e com isso não teve brasileiros na reta final. Na decisão o San Lorenzo venceu o Nacional do Paraguai por 1 x 0 e conquistou seu primeiro título na história da Libertadores. Já na Copa Sul Americana deu River Plate que depois de 17 anos volta a comemorar um título internacional. Na decisão bateu o Nacional de Medellin por 1 x 0. O melhor time brasileiro na competição foi o São Paulo que chegou à semifinal sendo eliminado nos pênaltis diante do Nacional de Medellín.

FATO DO ANO: O levante do futebol contra o racismo



2014 será sempre lembrado como o ano em que o racismo manchou tristemente o futebol, mas existiu um levante para acabar com essa praga nos estádios. O primeiro jogador a sofrer com o racismo foi Tinga do Cruzeiro que em jogo na Libertadores contra o Real Garcilaso do Peru foi xingado de macaco e a torcida peruana fez gestos racistas a cada toque que ele dava na bola. O ato revoltou a sociedade e a CBF lançou a campanha Somos Iguais. Durante o ano o país registrou 14 casos de racismo nos gramados. Em março o volante Arouca do Santos também se envolveu em caso de racismo durante jogo do campeonato paulista contra o Mogi Mirim. Já o juiz Márcio Chagas da Silva foi ofendido pelos torcedores do Esportivo, teve seu carro cercado por bananas e acabou abandonando a carreira





Em abril foi a vez de Daniel Alves, só que ele acabou comendo uma banana dentro de campo em jogo do Barcelona contra o Villarreal. Um torcedor atirou a fruta no campo e Daniel acabou comendo a fruta. O ato desencadeou a campanha #somostodosmacacos liderada por Neymar e fez com que famosos publicassem nas redes sociais fotos comendo bananas.





Em agosto durante jogo da Copa do Brasil o alvo da vez foi o goleiro Aranha. A auxiliar Patrícia Moreira foi flagrada pelas câmeras de televisão ofendendo Aranha com palavras racistas. Isso acabou custando caro ao Grêmio que acabou sendo excluído da Copa do Brasil de 2014, tomou uma multa de R$ 50.000 e depois perdeu os pontos daquela partida.

Novos emergentes surgem no cenário do futebol





Tombense e Macaé conquistaram títulos inéditos no cenário nacional

Nas divisões inferiores do futebol nacional surgem novos times que prometem dar trabalho no futuro. Casos do Tombense e do Macaé. Os dois foram campeões nacionais este ano. O time da cidade mineira de Tombos conquistou o campeonato brasileiro da Série D diante do Brasil de Pelotas enquanto o Macaé levou a melhor na decisão da Série C contra o Paysandu. Os times de Brasília mais uma vez não foram bem. O Brasiliense perdeu a chance de voltar a subir para a Série C ao perder nos pênaltis para o Brasil de Pelotas e vai jogar mais um ano na D, já o Luziânia ficou na primeira fase.

O annus horribilis da Portuguesa


Torcida da Lusa sofreu com o rebaixamento para a Série C depois de desgaste no caso Heverton

2014 foi um ano pro torcedor da Lusa jogar fora no lixo. A equipe começou o ano ainda lutando na justiça para permanecer na Série A por conta do caso Héverton, mas desistiu de continuar lutando. Só que na primeira rodada da Série B entrou em campo contra o Joinville, mas atuou 16 minutos. Um oficial de justiça entrou no gramado e determinou a saída do time de campo. A liminar foi cassada e a Lusa acabaria sendo punida com a perda de pontos. Depois o time não se encontrou mais e fez uma campanha pífia na Série B sendo rebaixado com quatro rodadas de antecedência.

Vasco decepciona, mas sobe sem aplausos



Na sua segunda passagem na Série B o Vasco não fez uma campanha brilhante, pelo contrário decepcionou, mesmo assim conseguiu à duras penas subir e retornar à Série A do Brasileirão. O time chegou a ficar em sétimo lugar e na virada de turno foi goleado em pleno São Januário pelo Avaí por 5 x 0, resultado que causou a demissão de Adílson Batista. Joel Santana assumiu o time e mesmo assim o Vasco não realizou grandes exibições. O acesso veio com um empate contra o Icasa debaixo de vaias. O time acabou em terceiro lugar, um acesso sem aplausos. E é esperar por um 2015 melhor, ainda mais com a volta de Eurico Miranda à presidência do clube no lugar de Roberto Dinamite.

Joinville leva a Série B e Santa Catarina coloca quatro na elite



Joinville ganhou a Série B e Santa Catarina terá quatro na elite

Uma nova tendência dita ritmo no futebol nacional. Um estado que até 2001 não tinha representante nenhum na elite. Desde 2002 que o estado de Santa Catarina tem um representante na elite, só que em 2015 a evolução vai continuar, pois colocará quatro equipes na elite do futebol brasileiro: Joinville e Avaí se juntam à Figueirense e Chapecoense e Santa Catarina terá mais times que o Rio de Janeiro. O Joinville se sagrou campeão numa disputa com a Ponte Preta que mais uma vez foi vice. Foram rebaixadas para a Série C as equipes do Icasa, Vila Nova, América de Natal e Portuguesa.

De novo mineiros sobram e dominam as competições nacionais

O futebol mineiro segue dominando o cenário nacional e pelo segundo ano seguido Minas Gerais tem o melhor futebol praticado no país. Cruzeiro e Atlético Mineiro mostraram como planejamento e estrutura fazem a diferença mais uma vez.

Um título brilhante do Galo na Copa do Brasil



Atlético Mineiro conquistou a Copa do Brasil na base da superação e da força de vontade

Como foi na Libertadores do ano passado a superação foi a marca registrada para a conquista inédita da Copa do Brasil para o Atlético Mineiro. Na base do Eu acredito o Galo passou por cima dos rivais e levou a competição nacional, a primeira em 43 anos. O Galo entrou na competição nas oitavas eliminando o Palmeiras. Nas quartas encarou o Corinthians. No primeiro jogo em Itaquera deu Corinthians com direito à dancinha de Mano Menezes. Na volta no Mineirão o Galo conseguiu reverter o resultado goleando por 4 x 1 e aí foi a vez dos jogadores provocarem Mano. A semifinal seria contra o Flamengo e como ocorreu nas quartas o Flamengo venceu o primeiro jogo por 2 x 0. Na volta no Mineirão ocorreu a mesma história com o time saindo atrás e buscando o resultado. E de novo a história aconteceu: goleada de 4 x 1 e vaga na final para decidir com o Cruzeiro que bateu o Santos na outra semifinal. No primeiro jogo valeu a máxima: Caiu no Horto tá morto e o Galo abriu uma boa vantagem vencendo o Cruzeiro com gols de Luan e Dátolo. Na volta no Mineirão o título inédito veio com o gol de cabeça marcado por Diego Tardelli. Foi realmente um título na base da superação provando que o impossível acontece, basta acreditar.

Cruzeiro domina o Brasileirão e fatura o tetra



Cruzeiro sobrou e levou o tetra brasileiro com méritos

Na era dos pontos corridos iniciada em 2003 ninguém festejou mais que o Cruzeiro. Foram três títulos desde a adoção do sistema e este ano o clube se impôs diante dos demais e papou mais um Brasileirão com recordes: Liderou mais rodadas e bateu o recorde de pontos desde que o campeonato passou a ser disputado por 20 times. Líder desde a sexta rodada o Cruzeiro somou ao todo 80 pontos num ano perfeito, mais um. Num elenco sem grandes estrelas os destaques da campanha foram Everton Ribeiro e Ricardo Goulart, os motores do meio campo. No comando Marcelo Oliveira seguiu comandando um elenco forte e solidário em campo.

O São Paulo chegou a ameaçar o título. A equipe de Muricy Ramalho chegou a estar quatro pontos atrás, mas perdeu pontos quando não podia. Pelo menos o consolo foi conquistar a vaga na Libertadores. Kaká voltou ao Brasil e jogou bem, Ganso teve uma grande temporada sem sofrer contusão e Rogério Ceni desistiu de se aposentar, tudo isso para jogar mais uma Libertadores. Internacional e Corinthians foram os outros times que se classificaram para a Libertadores de 2015 sendo que o Timão irá jogar a Pré Libertadores contra o Once Caldas da Colômbia. Grêmio e Fluminense também ficaram entre os primeiros durante boa parte do campeonato. Felipão voltou ao clube depois do vexame na seleção e por muito pouco não levou o time à Libertadores assim como o Fluminense. O consolo foi fazer o artilheiro do campeonato, Fred que marcou 18 gols apagando o fiasco na Copa quando foi chamado de cone.

O Flamengo chegou a estar na lanterna durante a pausa pra Copa do Mundo, demitiu Ney Franco e trouxe de volta o técnico Vanderlei Luxemburgo e o time engatou uma sequência de vitórias que tirou o time da lama. Para Luxa o time saiu da zona da confusão, termo designado pelo treinador para denominar o Z4 e terminar na décima posição.

Para o torcedor do Palmeiras o ano do centenário foi um ano pra se esquecer, a única alegria que o time teve foi a inauguração do Allianz Parque, o novo estádio. No Brasileirão o time fez uma campanha sofrível com três técnicos. Gilson Kleina começou o campeonato, mas foi demitido antes da parada pra Copa. A chegada do argentino Gareca deu um novo alento, mas os resultados foram pífios e Gareca ficou apenas três meses. Dorival Júnior assumia o cargo e o time chegou a reagir, mas parou nos 39 pontos devido à série de derrotas, uma delas para o Sport na reinaiguração do Palestra. No dia 7 de dezembro o time jogou contra o Furacão num jogo de vida ou morte na elite, terminando em empate e só se salvou graças ao Santos que rebaixou o Vitória. O Palmeiras somou 40 pontos, a pior campanha de um time que conseguiu se salvar. Para 2015 a esperança é apagar o desastre de um centenário sem ter o que comemorar.

A queda da estrela



Cabisbaixos os jogadores do Botafogo deixam o gramado da Vila Belmiro após a derrota que rebaixou o clube pra Série B

2014 não vai deixar saudades pro torcedor do Botafogo. O time colecionou notícias negativas e que acabou culminando com o rebaixamento para a Série B. O ano começou cheio de esperanças com a volta pra Libertadores, mas a saída de Seedorf deu início à derrocada. Na Libertadores o time foi eliminado pelo San Lorenzo, no estadual sequer chegou às finais. Na Copa do Brasil acabou sendo eliminado pelo Santos. No Brasileirão o time se perdeu em meio à crise financeira. Quatro jogadores foram demitidos e isso agravou a crise. O rebaixamento foi consumado com uma derrota para o Santos na penúltima rodada. Além do Botafogo caíram Bahia e Vitória, os dois representantes do futebol baiano e o Criciúma.

E a retrospectiva chega ao fim. O Blog entra na reta final de 2014 trazendo amanhã nossa prestação de contas.

Nenhum comentário: