domingo, 7 de maio de 2017

O Mês em Resumo: Lista de Fachin abala Brasília, Trump ataca a Síria e música fica de luto com as mortes de Jerry Adriani e Belchior

O quadro O Mês em Resumo que deveria ser publicado no dia 30 de abril será publicado hoje, dia 7 de maio e traz os principais fatos que marcaram o mês de abril.



Foi como uma bomba. No dia 11 o jornal O Estado de S. Paulo divulga em primeira mão a lista de investigados do ministro Edson Fachin. Ele determinou abertura de inquérito para 83 políticos envolvidos nas delações da Odebrecht. Na lista aparecem senadores, deputados, ex- presidentes e 8 ministros do governo Temer. O conteúdo das delações revela que a empreiteira comprou toda a cúpula do governo, da Câmara dos Deputados e criou um poder paralelo. Ao mesmo tempo o Senado aprova o fim do foro privilegiado.

O julgamento da chapa que reelegeu Dilma Rousseff é adiado pelo STF que pediu mais tempo pra analisar novas provas. Caso a chapa seja cassada uma eleição indireta será marcada.



A Greve Geral organizada no dia 28 por centrais sindicais não mobiliza o esperado e é marcada por protestos contra a reforma trabalhista que passa na Câmara. E o IBGE divulga que no primeiro trimestre o país possui 14 milhões de desempregados.








O ator José Mayer é afastado após a figurinista Susslem Tonani denunciá - lo por assédio sexual nos bastidores de A Lei do Amor. O caso mobiliza as mulheres que lançam nas redes sociais a campanha #mexeu com uma, mexeu com todas. Já o médico Marcos Harter foi indiciado por lesão corporal e agrediu a participante Emilly Araújo que foi a vencedora do Big Brother Brasil 17. Ele acabou sendo expulso do programa.

Numa onda de violência o Rio de Janeiro sofre com duas mortes causadas pelo tráfico. Um menino de 13 anos morre com uma bala perdida no dia 24, dois dias depois um adolescente de 16 anos é morto por um tiro de fuzil. No Paraguai um assalto terminou com quatro mortes, sendo três criminosos do PCC.



Durou pouco tempo a liberdade do goleiro Bruno Fernandes. No dia 25 O STF revoga o habeas corpus e Bruno volta pra prisão. Dias antes ele havia estreado pelo Boa Esporte, mas o contrato foi rescindido assim que ele voltou pra cadeia. Bruno foi condenado pelo assassinato de Eliza Samúdio em 2010.



Em sua primeira intervenção bélica no poder o presidente americano Donald Trump atacou bases militares na Síria. Foi a resposta ao ataque covarde com armas químicas em Idlib. Oitenta pessoas morreram nos ataques.



Em São Petersburgo 14 pessoas morreram nas explosões de bombas na estação de metrô. Os atentados foram atribuídos ao Estado Islâmico. Na França duas pessoas morreram em um tiroteio às vésperas da eleição presidencial que ocorreu no dia 23. Emanuelle Macrón e Marine Le Pen disputam o segundo turno.



Mais uma notícia ruim pro esporte brasileiro pós Olimpíada. A Polícia Federal realiza uma operação que desmonta um esquema de corrupção na Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos. O presidente Coaracy Nunes e mais duas pessoas foram presas, acusadas de desviar dinheiro da Confederação.





A MPB perde em abril dois talentosos músicos. No dia 23 morre Jerry Adriani, ídolo da Jovem Guarda e que fez sucesso com canções em italiano e português e seu maior sucesso foi Doce Doce Amor, escrita por Raul Seixas de quem foi parceiro e amigo e que seria homenageado este ano com uma turnê, mas o câncer detectado há pouco tempo acabou matando. No dia 30 o cearense Belchior morre devido ao rompimento da aorta no Rio Grande do Sul. Autor de grandes clássicos da MPB como Apenas um Rapaz Latino Americano e Como Nossos Pais, imortalizada na voz de Elis Regina chegou a ficar recluso por dez anos devido á dividas financeiras. Ambos tinham 70 anos.



A embaixatriz Lúcia Flecha de Lima foi a melhor amiga da Princesa Diana nos últimos anos de vida da princesa. Ao lado do marido, o embaixador Paulo Tarso de Lima esteve na embaixada brasileira em Washington, Londres, Paris e Roma e presidiu a Casa do Candango além de ser secretária de Turismo. Lutava desde o ano passado contra um câncer no colo do útero falecendo no dia 2 aos 76 anos.



O jornalista político Carlos Chagas em quase 60 anos de carreira acompanhou de perto os bastidores da política, foi secretário de imprensa no governo Costa e Silva na ditadura e passou por vários órgãos de comunicação como os jornais O Globo e Estadão e nas emissoras de TV Manchete, SBT e CNT. Sua filha Helena foi ministra da Comunicação Social no governo Dilma. Às vésperas de completar 80 anos ele teve uma parada cardíaca que o matou no dia 26 aos 79 anos.





O mês ainda teve as mortes de Jonathan Demme (26 de abril), diretor de O Silêncio dos Inocentes, ganhador do Oscar de Melhor Filme de 1991 e do ex - jogador de futebol americano Aaron Hernandez (19 de abril), acusado de assassinato em 2013 no auge de sua curta carreira e condenado à prisão perpétua acabou cometendo suicídio.

O quadro volta em maio no ritmo normal.

Nenhum comentário: