sábado, 4 de fevereiro de 2017

Top 5: Escolhido relator na Lava Jato, Congresso define seus novos presidentes e Trump começa governo com aprovação em baixa

No primeiro Top 5 de 2017 destaque para a agitação política que movimentou o país nesta semana.



1 - Política: As atividades políticas no Congresso recomeçaram esta semana com a escolha dos presidentes das duas cass. Na quarta foi escolhido o presidente do Senado que é agora Eunício Oliveira que mantém o PMDB no comando, na quinta Rodrigo Maia do DEM foi reeleito para mais dois anos no comando da Câmara.


2 - Novo relator na Lava Jato: Um sorteio eletrônico definiu o novo relator dos processos da Lava Jato. O ministro Edson Fachin foi escolhido para ser o novo relator em lugar de Teori Zavascki que morreu em acidente aéreo no mês passado.


3 - Governo Trump: Nos primeiros 15 dias de governo o presidente americano amarga a menor aprovação de um presidente no começo de mandato com apenas 44% de aprovação, bem abaixo dos ex - presidentes Kennedy, Eisenhower e Obama. Isto se deve às medias impopulares impostas como a um decreto que revogou os vistos de entrada de 7 países de origem muçilmana. 


4 - Atentado no Louvre: Ontem um homem tentou entrar no museu do Louvre em Paris com uma faca e depois de dizer Alá é grande foi cercado e levou vários tiros de soldados. 


5 - Legado pós Rio 2016: Matéria do jornal O Globo publicada neste sábado mostra o estado de abandono do Parque Olímpico da Barra menos de cinco meses depois do fim dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. As estruturas temporárias não foram totalmente desmontadas e no parque aquático a piscina que serviu de aquecimento para os atletas virou criadouro do mosquito Aedes Aegypt. A prefeitura carioca paga manutenção, mas a empresa responsável foi contratada sem licitação. E pensar que este seria o maior legado depois de uma Olimpíada maravilhosa, mas estamos no Brasil o eterno país do jeitinho.

Imagem da semana


A morte da ex- primeira dama Marisa Letícia foi capaz de unir de novo dois ex- presidentes e adversários políticos. FHC e Lula se abraçaram, para FHC foi a retribuição que ele deu pois em 2008 quando morreu Dona Ruth Cardoso o então presidente Lula foi prestar as condolências, agora ele retribui o carinho e esse abraço mostrou que mesmo sendo adversários os dois mostraram que são seres humanos, não importando qual seja a ideologia política a seguir.

Sábado que vem tem mais.

Nenhum comentário: