sábado, 3 de dezembro de 2016

Top 5 Especial: A semana que enlutou o futebol e o adeus aos guerreiros

Hoje o Top 5 será especial. O quadro será duplo. Nesse especial traremos todos os fatos que marcaram a tragédia da Chapecoense e logo na sequência teremos a penúltima edição do Top 5 em 2016.

Negligência assassina

1 - A tragédia: O avião que levou o time da Chapecoense saiu de São Paulo e fez escala na Bolívia através do voo da Companhia aérea Lamia, O voo ia seguindo tranqulo até Medelín quando o piloto avisou à tripulação que o avião teve problemas e aí se desencadeou a tragédia. Estavam no voo 77 pessoas, sendo 68 passageiros e 9 tripulantes. O avião caiu em uma área montanhosa na região de Cerro Gordo. De início 25 pessoas haviam morrido, mas no começo da manhã de terça feira a notícia que ninguém queria ouvir: 71 pessoas mortas, dentre os quais 19 jogadores da equipe, a comissão técnica, diretoria e 21 jornalistas de vários órgãos de imprensa que seguiriam para Medellín. A causa do acidente foi o avião ter pouco combustível para chegar ao aeroporto de Medellín.

Alan Ruschel apresenta evolução e conversa com a família Reprodução / Instagram/Instagram

2 - Os sobreviventes: Sobreviveram ao acidente seis pessoas: dois comissários de vordo, o jornalista Rafael Henzel e os jogadores Alan Ruschel, Neto e Jackson Folmann. O goleiro Danilo chegou a ser resgatado com vida, mas infelizmente morreu à caminho do hospital. Folmann teve uma das pernas amputadas. Os seis felizmente não correm mais risco de morte.



3 - Comoção mundial: A tragédia abalou o esporte mundial. Nos jogos espalhados pelo mundo um minuto de silêncio pelas vítimas do acidente. Nas redes sociais a hashtag #ForçaChape é uma das mais acessadas no Twitter. Os times brasileiros num ato de solidariedade demonstraram todo o sentimento com a Chapecoense. A CBF adiou a final da Copa do Brasil e a última rodada do Brasileiro.

Tributo em Medellín aos jogadores do Chapecoense - AFP

4 - A homenagem dos colombianos: O povo colombiano demonstrou em Medellín todo o seu sentimento e com o estádio Atanásio Girardot completamente lotado o time do Atlético Nacional prestou um tributo à equipe brasileira.







5 - A hora do adeus: Depois que os corpos foram identificados os caixões foram transportados em três aviões da Força Aérea Brasileira na tarde de ontem e chegaram à Chapecó na manhã deste sábado. Em comboio os féretros seguiram até a Arena Condá para o velório coletivo que contou com as presenças do técnico da seleção Tite, do presidente Michel Temer e do presidente da Fifa Gianni Infantino. Mesmo debaixo de uma forte chuva os torcedores se despediram de seus heróis. E o presidente do clube afirmou que a equipe será declarada campeã post morten da Copa Sul Americana.

Na sequência a edição normal do Top 5, a penúltima do ano.

Nenhum comentário: