quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Retrospectiva 2016: Donald Trump vence eleição americana, acordo de paz rende Nobel da Paz para Colômbia, Cuba sem Fidel Castro e terror islâmico segue ameaçando a paz

A Retrospectiva 2016 continua e hoje destaques do noticiário internacional. Um ano marcado pelo avanço do terror islâmico que mais uma vez fez a França chorar. Nos Estados Unidos Donald Trump vence a eleição mais disputada dos últimos anos e em Cuba Fidel Castro se foi levando junto um terrível legado.

A MARCHA DO TERROR

Grande mal deste século XXI o terror seguiu aprontando e fazendo vítimas em 2016. Foram vários atentados que preocuparam o mundo neste ano.



Saguão do aeroporto de Bruxelas depois dos ataques do EI: onze pessoas morreram 

O primeiro deles ocorreu na Bélgica em 22 de março quando dois atentados ocorridos em Bruxelas deixaram 30 pessoas mortas. Onze delas morreram no saguão do aeroporto, um dos locais dos atentados.



Arredores do aeroporto de Atarturk depois de um novo ataque vindo do Estado Islâmico

Em 28 de junho um outro atentado, desta vez ocorrido em Istambul matou 40 pessoas. Os terroristas entraram em táxis e retiraram das malas fuzis atirando contra os civis e guardas. Esses dois atentados foram atribuídos ao Estado Islâmico. O grupo terrorista seguiu promovendo atentados terroristas pelo mundo e eles chegaram a fincar raízes no Brasil, mas o grupo foi descoberto pelos agentes da Polícia Federal que prendeu 11 pessoas. Eles ameaçaram promover atentados durante as Olimpíadas.





O muçulmano Omar Mateen invade a boate Pulse e mata 50 na maior tragédia com armas desde 2001 nos EUA

Nos Estados Unidos o terror foi caseiro. Na madrugada de 12 de junho o muçulmano Omar Mateen entrou na boate gay Pulse em Orlando na Flórida e atirou de forma covarde em quem estava à sua frente. O saldo da carnificina: 50 pessoas mortas e 53 feridas. O ataque foi o maior depois do 11 de setembro de 2001. Ainda nos EUA houve uma nova explosão de ódio racial ocorrida em Dallas no Texas. Durante uma manifestação pacífica um homem atirou contra policiais e cinco deles morreram sendo morto por um robô.

MAIS UMA TRAGÉDIA NA VIDA DOS FRANCESES







Corpos das vítimas do terrorista tunisiano espalhados no centro da praça de Nice e o veículo usado pelo terrorista pra matar: França sofre sua terceira tragédia em um ano e meio

Depois dos atentados ao Charlie Hebdo e ao massacre de Paris a França sofreu um novo atentado em um ano e meio. Desta vez foi em pleno dia da Bastilha, data nacional. O ato terrorista ocorreu em Nice, no sul da França. O  terrorista Mouhamed Bouhel dirigindo um caminhão branco veio em zigue zague em em alta velocidade conduzia o veículo de 25 toneladas e foi em direção ao público atropelando dezenas de inocentes e só parou ao começar a trocar tiros com os policiais. Ao todo 85 pessoas incluindo o terrorista morreram.



Flores pra lembrar as vítimas do atentado em Munique que fez oito vítimas fatais

Uma semana depois o terror chegou até a Alemanha. Desta vez foi em Munique que teve um novo pesadelo 44 anos depois do atentado que manchou a Olimpíada de 1972. Oito pessoas morreram em tiroteios no centro da cidade.

GOLPE FRUSTRADO NA TURQUIA





O povo turco vai às ruas e recepciona o presidente Erdogan que escapa de sofrer um golpe militar

Uma tentativa de golpe militar terminou em fracasso na Turquia em julho quando os militares rebeldes tomaram as ruas de Istambul, mas o golpe terminou em fracasso pois as forças favoráveis ao regime de Recep Erdogan contra atacaram e houve vários confrontos nas ruas e o saldo de tudo isso foi a morte de 265 pessoas.

O RETRATO TRISTE DA GUERRA NA SÍRIA



Coberto de sangue e pó o pequeno Omhram virou o símbolo de uma guerra que se arrasta há 5 anos na Síria

Uma das fotos mais tristes do ano foi tirada em agosto na cidade de Aleppo na Síria. O pequeno Omhran Daqneesh de 5 anos foi ferido em um bombardeio e o seu frágil corpo coberto de sangue e poeira foi o mais triste retrado de uma guerra civil que se arrasta há 5 anos na Síria entre forças favoráveis ao ditador Bashar el Assad e forças rebeldes oposicionistas.

A ITÁLIA CHORA OS MORTOS DO TERREMOTO



Igreja no centro de Amatrice foi toda destruída no maior terremoto que o país sofreu nos últimos 36 anos

No dia 24 de agosto a Itália sofreu um dos terremotos mais fortes desde 1980. Ao todo 290 pessoas morreram nos tremores de terra ocorridos na região central sendo o epicentro a cidade histórica de Amatrice. Os tremores atingiram magnitude de 6 graus na Escala Richter.

UM ACORDO QUE RENDEU UM NOBEL 



Juan Manuel Santos cumprimenta o líder das FARC em acordo que foi rejeitado, mas aprovado em nova tentativa e que rendeu o Prêmio Nobel da Paz

Depois de três tentativas frustradas de um acordo de paz entre os governos e as FARC finalmente chegou - se a um acordo de paz. O tratado assinado em 26 de setembro em Cartagena marcou o começo de uma nova era na vida do país, mas esse acordo foi rejeitado em plebiscito. Em novembro um novo acordo de paz enfim celebrou a paz e pelos esforços para buscar a paz o presidente colombiano Juan Manuel Santos ganhou o prêmio Nobel da Paz..



Um outro Nobel chamou a atenção este ano. O Nobel de Literatura não foi para nenhum escritor, mas para um músico. O cantor e compositor americano Bob Dylan foi escolhido para ganhar o prêmio de 2016. A Academia sueca justificou a entrega por criar novas expressões poéticas na tradição da canção norte americana. Mesmo sendo agraciado Dylan esnobou a premiação e não compareceu à cerimônia de entrega.

UM ACORDO PARA SALVAR O PLANETA



Acordo firmado em 2015 começou a vigorar apenas este ano e visa combater o aquecimento global

O Acordo de Paris começou a vigorar em novembro e visa combater as mudanças climáticas decorrentes do aquecimento global. O acordo teve a assinatura de 195 países incluindo o Brasil e tem como objetivo incrementar ações para evitar as consequências do aquecimento global.

VENEZUELA ATOLADA NA CRISE

Handout picture released by the Venezuelan presidency showing Venezuelan President Nicolas Maduro (2-L) heading for a meeting with Pope Francis at the Vatican on October 24, 2016. Venezuela's socialist government and the opposition aim to open talks on October 30 to resolve the political crisis in the volatile nation, a Vatican envoy said on Monday. Pope Francis granted Venezuelan President Nicolas Maduro a surprise private audience at the Vatican in the midst of a deep political crisis in the South American country. / AFP PHOTO / Venezuelan Presidency / Marcelo GARCIA / RESTRICTED TO EDITORIAL USE - MANDATORY CREDIT "AFP PHOTO / VENEZUELAN PRESIDENCY / MARCELO GARCIA / HO " - NO MARKETING NO ADVERTISING CAMPAIGNS - DISTRIBUTED AS A SERVICE TO CLIENTS

Nicolás Maduro enfrentou mais um ano difícil com protestos da oposição e economia afundando

O governo ditatorial de Nicolás Maduro segue fazendo o povo da Venezuela sofrer com uma grave crise econômica e política. Em 2016 o país viveu dias de tensão política por causa da decisão da Justiça de proibir a saída dos líderes da oposição e um referendo revogatório foi suspenso pois estava na coleta das assinaturas e o referendo poderia levar à destituição de Maduro do poder. Em dezembro Maduro determina o fechamento das fronteiras com o Brasil por 72 horas para combater o contrabando de notas de 100 bolivares, retiradas de circulação. Segundo Maduro a apreensão das notas por causa das máfias tinha como objetivo sufocar a economia combalida do país e acusa os Estados Unidos de armar um complô. Enquanto isso a população sofre com a falta de produtos nas prateleiras dos supermercados e ao mesmo tempo o país sofre ameaça de sair do Mercosul, pois Maduro pensa que a tríplice aliança de governos de extrema direita como Brasil, Argentina e Paraguai estão armando um plano para expulsar o país do bloco econômico.

FIDEL CASTRO SAI DE CENA





Morte de Fidel Castro encerra trajetória controversa à frente de Cuba e seu funeral teve as presenças dos ex- presidentes brasileiros Lula e Dilma

Um dos mais importantes e controversos líderes do século XX saiu de cena definitivamente. O ditador cubano Fidel Castro morreu no dia 25 de novembro aos 90 anos. O anúncio da morte foi feito pelo seu irmão Raúl na TV estatal de Cuba. Fidel Castro liderou a Revolução Cubana que derrubou Fulgencio Baptista em 1959 e governou com mão de ferro o pais por quase meio século até se afastar do poder por problemas de saúde em 2008. A sua morte dividiu os cubanos, pois a maioria deles comemorou sua morte em Miami num bairro de refugiados. Os funerais ocorreram no começo de dezembro e uma procissão percorreu as ruas de Havana e Santiago de Cuba onde suas cinzas foram depositadas no Cemitério de Santa Ifigenia.

FATO DO ANO: UM FUTURO TENEBROSO PARA OS EUA DEPOIS DA ELEIÇÃO DE DONALD TRUMP



A maior nação econômica, política e militar do planeta estará sob novas e preocupantes mãos a partir de 20 de janeiro do ano que vem quando Donald Trump tomar posse como o 45º presidente dos Estados Unidos da América. O empresário e apresentador de televisão surpreendeu o mundo ao vencer uma das mais acirradas e empolgantes disputas presidenciais da história americana. A campanha presidencial foi marcada pelas acusações de misoginia contra mulheres no passado. A eleição americana de 2016 será lembrada como uma eleição que dividiu os americanos, por outro lado pode representar um futuro tenebroso para o mundo pois Trump tem uma visão de mundo totalmente diferente de Barack Obama, presidente que sairá do poder em janeiro. Questões como a imigração e preconceito às classes inferiores preocupam o mundo, principalmente na questão da imigração pois uma de suas promessas de campanha foi a construção de um muro na fronteira com o México. E se fosse Hillary Clinton a vencedora como seria o mundo?



Os americanos foram às urnas em 8 de novembro e surpreendentemente escolheram Donald Trump que perdeu nos votos válidos, mas levou por colher o maior número de delegados, pois no sistema eleitoral americano vale a contagem pelo número de delegados. Trump obteve 291 delegados contra 232 de Hillary. Sua vitória representou o triunfo do populismo barato e ao mesmo tempo lança o país numa era de incertezas.



A onda populista de extrema direita chegou à Europa e derrubou o primeiro ministro da Itália Matteo Renzi em plebiscito sobre uma mudança na Constituição que reduziria os poderes do Senado e fortaleceria o Executivo, na França a ameaça xenófoba na pele de Marine Le Pen corre o risco de ser eleita presidente do país e na Alemanha a primeira ministra Angela Merkel vai tentar um quarto mandato sob ameaça da candidata Frauke Petry, do partido Alternativa pra Alemanha, ferrenha opositora da imigração. Pelo jeito o mundo está sob o efeito Trump que pode gerar uma grande era de incerteza.

A retrospectiva prossegue amanhã com os destaques da televisão brasileira.

Nenhum comentário: