sábado, 22 de outubro de 2016

Top 5: Novo rebuliço com novas prisões e Trump sem rumo

A semana foi totalmente agitada em Brasília com um festival de prisões, dentre elas a de Eduardo Cunha e nos EUA Donald Trump parte pro tudo ou nada à menos de 20 dias pra eleição.



1 - Lava Jato: A semana foi recheada de prisões, a mais importante a de Eduardo Cunha. O ex - presidente da Câmara foi preso por determinação do juiz Sérgio Moro por tentar atrapalhar as investigações. Na sexta a Polícia Federal fez uma operação que prendeu quatro integrantes da Polícia do Senado que são acusados de atrapalharem as investigações da Lava Jato.



2 - Agressão em Ipanema: A jogadora de vôlei Luciana Severo foi assediada e agredida por um taxista em Ipanema, na zona Sul do Rio de Janeiro. Ela se envolveu em uma confusão e acabou tendo o nariz fraturado e um dedo quebrado. O agressor foi autuado e vai responder o processo em liberdade.



3 - Eleição americana: Donald Trump em debate nesta semana admitiu não reconhecer a derrota caso perca para Hillary Clinton, só que no fim desta semana ele divulgou o seu plano para os 100 primeiros dias caso seja eleito e uma das medidas é deportar imigrantes presos em delitos e cancelar os pagamentos para programas climáticos das Nações Unidas.



4 - Venezuela: Cresce a resistência da população e dos opositores do governo de Nicolás Maduro ao mesmo tempo as ruas viram alvos de revolta. O governo adiou o referendo revocatório do mandato de Maduro e os opositores foram priobidos de sair do país.


Soldado iraquiano usa máscara contra gases para se proteger da fumaça tóxica de fábrica incendiada pelo EI perto da base de Qayyarah
Foto: AHMAD AL-RUBAYE / AFP/AHMAD AL-RUBAYE

5 - Guerra ao estado Islâmico: Tropas iraquianas se aproximam da cidade de Mossul, um dos focos de resistência do Estado Islâmico. Os terroristas incendiaram uma fábrica de enxofre e a fumaça tóxica levou mais de 1000 pessoas aos hospitais da cidade.

Imagem da semana



A dor da guerra afeta as famílias mais pobres no Iraque e a solução para essas pessoas é buscar campos de refugiados, como em Mossul, cidade alvo da força de reocupação contra o Estado Islâmico.

Sábado que vem tem mais.

Nenhum comentário: