quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Retrospectiva 2014: Mundo em pânico com o ebola, conflitos étnicos e uma ameaça vinda do Islã

A Retrospectiva 2014 prossegue e hoje é dia de acompanharmos o que foi notícia no noticiário internacional. 2014 viu mais uma vez a intolerância dominar as ações no Oriente Médio, um conflito militar entre duas ex- repúblicas da antiga União Soviética que foi além dos limites, um vírus mortal que preocupou as autoridades de saúde e o surgimento de um novo grupo islâmico terrorista que decapita seus reféns com requintes de crueldade.

A mais grave crise mergulha a Ucrânia no caos







Ucranianos protestam contra a anexação da Crimeia e Putin e Poroshenko buscam um acordo para por fim à guerra étnica

Desde a independência da extinta União Soviética em 1991 a Ucrânia sofre com surtos de instabilidade política e em 2014 enfrentou a mais série crise que chegou a envolver os países da União Europeia e os Estados Unidos. A Rússia resolveu interferir de forma hostil e colocou o seu exército em ação. Essa crise começou ainda em 2013 e só este ano é que explodiu de vez. O ex -presidente Viktor Yanukovic se afastava de um acordo de aproximação com o bloco econômico, mas a Rússia não gostou disso e Yanukovic foi derrubado do poder. Logo depois da realização das Olimpíadas de Inverno de Sochi a Rússia invade a península da Crimeia e realiza um referendo fajuto que incorporou a região à Federação Russa em um golpe de esperteza de Vladmir Putin. Os protestos continuaram até que no dia 12 de maio foi aprovada a independência da Crimeia.

Nas eleições realizadas em maio Petro Poroshenko foi eleito presidente em meio ao cenário de caos que estava instalado no país. Putin era pressionado para dar seu posicionamento à questão de ter fornecido armas para os rebeldes separatistas.



Separatista da Ucrânia colhe destroços de avião que foi abatido por um míssil: ninguém assumiu até agora a autoria do ato

A crise chega ao seu auge no dia 17 de julho quando um avião da companhia Malaysia Airlines foi atingido por um míssil matando 295 pessoas, a maioria holandeses que iriam para a Austrália onde participariam de um congresso sobre a Aids. Ninguém até agora assumiu a autoria dos disparos. Depois os conflitos prosseguiram até que em novembro o novo presidente manda retirar os serviços públicos do lado leste, pois a região estava totalmente controlada pelos separatistas. Os dois países tentam marcar um encontro para negociar o fim do conflito, mas se depender de Putin mais sangue será derramado e nunca chegará a uma conclusão.

O misterioso voo que desapareceu no ar



Parentes de vítimas choram após ao saber que o avião não foi localizado: mistério que perdura até os dias de hoje

Um dos maiores mistérios de 2014 é saber o que aconteceu com o avião da companhia aérea Malaysia Airlines que sumiu dos radares em pleno voo? Desde o dia 8 de março que o mundo pergunta onde está o avião que transportava 289 pessoas e que desapareceu dos radares. O voo deixou Kuala Lumpur e tinha como destino final a capital da China, Pequim. Duas horas depois da decolagem as agências de notícias chinesas não conseguiam mais localizar o avião. As autoridades de quatro países vem se desdobrando para encontrar supostos destroços da aeronave. Uma varredura foi feita, mas até agora nada foi encontrado. Este foi mesmo um ano pra companhia esquecer, pois quatro meses depois um avião da mesma companhia foi abatido por um míssil quando sobrevoava o espaço aéreo da Ucrânia.

Guerra sem fim no Oriente Médio





Bombardeios de Israel na Faixa de Gaza: mais uma vez a intolerância predomina na região

Em mais um capítulo sangrento da guerra entre palestinos e árabes o Oriente Médio foi palco de mais um conflito sangrento. E mais uma vez na polêmica Faixa de Gaza. Os ataques começaram em julho quando Israel bombardeou a Faixa de Gaza em represália aos ataques do Hamas. O grupo por sua vez atribui os ataques ao assassinato de um paalestino por extremistas. O fato é que os ataques que durara sete semanas mataram mais de 2 mil pessoas, a maioria civis. Até a ONU foi vítima dos ataques e a entidade fez investigação para analisar os atos cometidos tanto pelo Hamas como pelos israelenses. Depois de 50 dias intensos o cessar fogo é assinado e a paz pelo menos voltou até que uma outra guerra se inicie.

Morte na mina comove a Turquia



Resgate de uma das vítimas do soterramento de uma mina na Turquia

No dia 13 de maio uma mina explodiu e 300 pessoas morreram. O fato gera revolta da população contra o governo de Recep Erdogan.

Tragédia na Coreia do Sul



Balsa estava superlotada e 300 perderam a vida na Coreia do Sul

A balsa Sewol naufragou e matou mais de 300 pessoas.O fato ocorreu em abril e causou a renúncia do primeiro ministro.

FATO DO ANO I: O vírus da morte ataca de novo



Epidemia de ebola assustou o mundo e só na África morreram mais de 5 mil

O ano de 2014 entra pra história como o mais letal causado pelo ebola na maior epidemia desde sua descoberta nos anos 70. Os primeiros relatos surgiram em março em Guiné quando pessoas eram vítimas de febre hemorrágica. Ao todo 34 pessoas haviam morrido misteriosamente, mas exames apontaram o pior: estavam todas infectadas pelo Ebola, o mais letal e mortal vírus que se tem notícia no mundo. Não demorou muito para que o vírus virasse epidemia mundial. Logo chegou à outros países como Máli, Serra Leoa e Libéria. A propagação chegou a níveis catastróficos. Em agosto o vírus chega à Nigéria e ao Senegal. A doença se espalha pelos outros continentes. Quem viajou até esses países contraiu a doença. Foi o caso de dois médicos norte americanos que contraíram a doença, mas felizmente foram curados nos EUA. A mesma sorte não teve dois missionários espanhóis que também estiveram na África, foram contaminados e morreram. Ao todo mais de 5 mil pessoas morreram infectadas pela doença e 14 mil infectadas. Os governos de todo o mundo buscam soluções para conter a epidemia.

FATO DO ANO II: O novo eixo do mal





O ódio aos americanos fez com que o Estado Islâmico decapitasse James Foley: milícia chamou a atenção do mundo neste ano e preocupa as autoridades que tentam uma forma de detê - los

Num mundo cheio de extremos 2014 nos apresentou dois maus exemplos de intolerância e radicalismo. O primeiro deles, o Boko Haram ficou famoso pelo sequestro de meninas na África, já o segundo é mais radical. O Estado Islâmico, um grupo jihadista surgiu no Iraque, odeia xiitas, minorias e os Estados Unidos e deseja o controle dos muçulmanos e para isso usa a perseguição religiosa contra seus inimigos. Mas a face desse grupo é a do horror. Para isso eles sequestram civis e fazem o que querem. Foi assim com o jornalista americano James Foley, decapitado em agosto. O grupo está associado à crimes de guerra cometidos na Síria. E não parou por aí. Estima - se que esse grupo já matou mais de 2000 pessoas. Governos de todo o planeta tentam formar uma coalizão para deter esse grupo terrorista que se tornou a maior ameaça à paz desde o fim da Al Qaeda de Osama bin Laden.

Escócia diz não

Em referendo realizado em setembro a Escócia disse não á sua independência ao Reino Unido. 55% dos escoceses optaram pelo Não e isso levou o primeiro ministro a renunciar.

Terror não tem limites







Atirador invade parlamento no Canadá, sequestrador faz reféns na Austrália e no Paquistão choro no velório de uma das vítimas: o terror não tem fronteiras 

O terror não tem limites mesmo. Canadenses e australianos que o digam. Em outubro um atirador invade o parlamento canadense e abre fogo contra o Memorial da Guerra. Ele seria morto por um dos oficiais. Em dezembro foi a vez da Austrália sofrer com o terror. Durante 17 horas um homem invadiu uma cafeteria no centro de Sydney fazendo mais de 15 reféns. Ele acabaria sendo morto junto de mais dois reféns. O suspeito era um iraniano que morava no país há 20 anos. E ainda teve mais terror. No Paquistão integrantes da milícia talibã invadem uma escola e matam 140 pessoas, a maioria crianças. O grupo abriu fogo contra quem estava à sua frente e executou o ato bárbaro.

Uma fantástica descoberta da ciência



Imagem divulgada da sonda mostra o módulo Philae na cauda de um cometa

Em novembro a sonda Rosetta através do módulo Philae conseguiu pousar na cauda de um cometa. O feito é histórico para a ciência. Depois de dez anos viajando a 55 mil quilômetros por hora de média a sonda conseguiu o feito de pousar em um cometa num grande trunfo para a astronomia.

Inimigos históricos se reaproximam



Barack Obama e Raul Castro anunciaram a reaproximação diplomática entre os dois países, falta apenas acabar com o embargo econômico

Depois de mais de meio século afastados Estados Unidos e Cuba estão perto de uma reaproximação histórica. Pelo menos na parte diplomática, pois o embargo econômico ainda continua. Quem intermediou as negociações foi o Papa Francisco no Vaticano.  O passo para que as relações pudessem ser reatadas foi a libertação de um prisioneiro americano na prisão de Guantánamo. O presidente Barack Obama e o presidente de Cuba Raul Castro pronunciaram e disseram que este é um momento histórico. Desde 1962 quando o então presidente americano John Kennedy decretou o embargo foram mais de 50 anos em que imigrantes cubanos tentaram sair do país e entrar ilegalmente nos Estados Unidos via balsas.

A retrospectiva continua nesta sexta com o que de melhor aconteceu na televisão.

Nenhum comentário: