sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Retrospectiva 2014: O que a telinha nos apresentou este ano

A Retrospectiva 2014 prossegue e hoje é dia de falarmos de televisão. Num ano de dois grandes eventos as emissoras não realizaram investimentos maciços. Por isso mesmo vamos apresentar o que cada emissora fez nesse ano.



Masterchef salva ano em que CQC entra em crise

A Rede Bandeirantes fez tentativas de emplacar novos programas, mas um deles acabou sendo a tábua de salvação para o canal enquanto um de seus principais produtos entrou em parafuso.





Marcelo Tas deixa o CQC em meio à baixa audiência e quem assume seu lugar será Dan Stulbach

O ano mal começou e Danilo Gentilli e Otávio Mesquita deixaram o canal. Em 5 de março estreou o novo Agora é Tarde com Rafinha Bastos. Em 17 de março estreava a nova temporada do CQC. O humorístico teve um ano pra esquecer, pois os baixos índices de audiência fizeram com que o programa sofresse uma reformulação geral. Sairão do programa Dani Calabresa, Oscar Filho, Felipe Andreoli, Guga Noblat, Ronald Rios e Marcelo Tas. Ao mesmo tempo o programa ganha um novo apresentador, o ator Dan Stulbach que deve estrear em 2015 juntamente dos retornos de Rafinha Bastos e Rafael Cortez que não foi feliz em sua passagem pela Record.





Café com Jornal foi a novidade do jornalismo e ano que vem terá Luiz Bacci como um dos apresentadores. O menino de Ouro naufragou com o Tá na Tela apostando no sensacionalismo barato

No jornalismo a novidade do ano foi o Café com Jornal com Luiz Megale e Aline Midlej que substituiu o Primeiro Jornal. Ticiana Villas Boas fica grávida e deve entrar em licença maternidade se afastando do Jornal da Band. No ano em que tivemos Copa do Mundo a emissora perde sua referência. O narrador Luciano do Valle morre em Uberlândia onde iria narrar um jogo pelo Campeonato Brasileiro. A perda irreparável abala a equipe da emissora, em especial Nivaldo Prieto que não se contém pela emoção e chora ao vivo em link no programa Gol de Milton Neves. Téo José passa a ser o narrador número 1 deixando um pouco de lado a velocidade para se dedicar ao futebol. Ainda no mesmo ano outra perda abala a equipe durante a Copa com a morte de Osmar de Oliveira. O Jogo Aberto ganha uma edição voltada para cariocas, manauaras e brasilienses sob o comando de Larissa Erthal que também se destaca no Terceiro Tempo. No final do ano é anuciada a saída de Nivaldo Prieto. Contratado a peso de ouro o Menino de Ouro Luiz Bacci chega da Record e em 4 de agosto estreia o Tá na Tela. O programa chega a alavancar os índices da emissora, mas ao apostar no sensacionalismo barato perde o fôlego e vai chegar ao fim em dezembro, assim como os programas Zoo, Polícia 24 Horas e Sabe ou não sabe. Bacci será transferido para o jornalismo e passará a comandar o Café com Jornal.







Masterchef revelou uma outra face de Ana Paula Padrão, mas quem roubou a cena foram os jurados e Elisa foi a grande vencedora da primeira edição

A grande surpresa do ano foi o reality MasterChef que estreou em 2 de setembro e chegou a liderar várias vezes o horário nas noites de terça. Ana Paula Padrão deixou a sobriedade da bancada e fez sua primeira experiência no entretenimento. Os jurados são um show à parte. O francês Erick Jacquin, o brasileiro Henrique Fogaça e a argentina Paolla Carosella roubam a cena e a final foi vencida por Elisa Fernandes garantindo a liderança do horário com 10 pontos. Novas inscrições foram abertas e uma nova temporada será realizada em maio do ano que vem.



Poucas novidades e pelo menos nada negativo na Justiça

No ano que completou 15 anos a Rede TV! pouco apresentou em matéria de novidades. Pelo menos uma coisa desapareceu do noticiário, as notícias negativas na questão de direitos trabalhistas e problemas na justiça. Em relação à programação pouca coisa nova teve destaque no canal de Amilcare Dallewo.

Em mais uma tentativa de fazer emplacar um novo Pânico o Encrenca acabou sendo um programa esquecido e de pouca ou nula repercussão nas noites de domingo. Em novembro estreou o reality The Bachelor que busca encontrar um amor para um solteiro. Por outro lado o destaque segue sendo para João Kléber e seu indefectível Teste de Fidelidade que acabou sendo remanejado por lançar uma versão picante do programa. O único ponto positivo ficou com o jornalismo que ganhou mais agilidade devido à chegada de Franz Vacek que é o novo diretor de jornalismo da casa.





Erros atrás de erros

Cada vez mais longe de ser uma Globo a Rede Record mostrou em 2014 que ainda não aprendeu com os erros que ainda comete. A audiência não emplacou e o ano termina com os piores índices desde 2006 no geral.







Milagres de Jesus consolidou a dramaturgia, Vitória penou mesmo com excelente texto e Plano Alto retratou fielmente a efervescência das manifestações de 2013

Na dramaturgia a aposta mais uma vez foi para as séries bíblicas. Milagres de Jesus começou bem, mas depois começou a ser exibida muito tarde num caso explícito de desrespeito com o telespectador. As reprises acabaram de despencar a audiência da emissora e vem aí uma nova leva de reprises. Por outro lado duas séries tiveram elogios da crítica pela qualidade apresentada: Plano Alto que recriou os manifestos de junho de 2013 e Conselho Tutelar se destacam. A novela Vitória de Cristiane Fridmann estreou em junho e luta à duras penas para se manter em segundo lugar. A história de amor da joqueta Diana (Thaís Melchior) com o paraplégico Artur (Bruno Ferrari) que vira vingança tem pouca repercussão apesar dos índices respeitáveis de audiência. Para o ano que vem está prevista a estreia de Os Dez mandamentos, a primeira novela bíblica da emissora.







Geraldo Luís trouxe o circo dos horrores no Domingo Show, Sabrina estreou seu programa e Rafael Cortez não teve sorte e deixou a emissora

Geraldo Luís voltou a fazer programa de auditório com a estreia do Domingo Show em março. O programa sofre com a concorrência e assim como outros programas penou no Ibope. Outra aposta da emissora, Sabrina Sato estreou seu programa nas noites de sábado. Outra estreia que não deu certo foi o reality de namoros Me Leva Contigo com Rafael Cortez que não deu certo e ele deixou a emissora voltando pro CQC. Rodrigo Faro aposentou O Melhor do Brasil e lançou a Hora do Faro aos domingos. No jornalismo houve a estreia do Repórter Record Investigação com Domingos Meirelles e as baixas foram as saídas de Luiz Bacci que foi pra Bandeirantes e Fabiana Scaranzi do Domingo Espetacular. Ela foi substituída por Thalita Oliveira. No esporte houve o luto com a morte do narrador Maurício Torres e Lucas Pereira passou a co - apresentar o Esporte Fantástico. Nos realitys, Roberto Justus reuniu celebridades que tentaram virar executivos e quem se deu bem foi a ex- jogadora de vôlei Ana Mozer que venceu o Aprendiz Celebridades, já a Fazenda em sua sétima edição naufragou no Ibope e o desconhecido DH Silveira foi o vencedor

No fim do ano a emissora contrata o apresentador César Filho que vai assumir o comando do Hoje em Dia junto de Ana Hickmann, pois os apresentadores Celso Zucatelli, Chris Flores e Edu Guedes deixam o programa e ainda existe a possibilidade da emissora trazer Xuxa Meneghel, o que ainda não foi possível.



Novelas infantis seguram audiência







Patrulha Salvadora se destaca na programação infantil, Danilo Gentilli resgatou o talk show com o The Noite e Rachel Sheherazade de novo se envolve com polêmicas

Na TV mais feliz do Brasil 2014 mais uma vez foi ano das novelas infantis darem conta do recado. Depois do sucesso de Carrossel o elenco foi aproveitado em Patrulha Salvadora, já Chiquititas manteve os índices de audiência no horário nobre e vem incomodando a Record. O ano também marcou as chegadas de Danilo Gentilli que trouxe de volta o talk show ao canal com o The Noite e Otávio Mesquita com seu Okay Pessoal. No jornalismo mais uma vez Rachel Sheherazade voltou a polemizar. Em fevereiro um comentário no SBT Brasil em que ela incentivava o linchamento deu muita dor de cabeça à emissora. Seus comentários foram proibidos.

O ano ainda teve o Arena SBT, uma tentativa frustrada de misturar humor e esporte, mas os baixos índices de audiéncia levaram ao fim do programa depois da Copa dando lugar ao Caso Encerrado. Em agosto o canal lança sua nova logomarca em versão mais clean em movimento, da mesma forma usado no logo da Rede Globo. Em novembro o canal dedica boa parte de sua programação para homenagear Roberto Bolaños, o eterno Chaves que morreu no México. O seriado é exibido há 30 anos no Brasil.



Nova marca e novos formatos marcam ano pré cinquentenário

Às vésperas de completar meio século de existência o ano de 2014 da Rede Globo ficou marcado por novos formatos e os fracassos de algumas novelas.






Amores Roubados e Dupla Identidade fizeram sucesso de público e crítica, já Tá no Ar redmiu Marcelo Adnet depois do fiasco do ano passado

O ano da emissora começou com a elogiada minissérie Amores Roubados, considerada sucesso de público e crítica pela qualidade da fotografia e elenco afinado. No meio do ano o remake de O Rebu também arrancou suspiros do público e em setembro o seriado Dupla Identidade de Glória Perez começou mal, mas depois os índices se estabilizaram. Teve mais uma edição do Big Brother que teve como vencedora Vanessa. Outro destaque do ano foi para o Tá no Ar, uma sátira à própria TV. Desta vez o comediante Marcelo Adnet conseguiu emplacar um sucesso depois do fracasso de O Dentista Mascarado no ano passado e o programa foi um sucesso de repercussão e crítica, por isso ganhou uma nova temporada. A emissora ainda lançou o Superstar exibido nas noites de domingo revelando a banda Malta como vencedora. O ano marcou também a despedida da Grande Família que ficou no ar por 14 anos mantendo a qualidade da produção e o novo seriado de Miguel Falabella, Sexo e as Negas. Falando em Falabella ele e Cissa Guimarães devem retornar ao Vídeo Show que este ano enfrentou a concorrência forte do Balanço Geral.



Meu Pedacinho de Chão foi sucesso de crítica, mas de pouca audiência

Nas novelas das 6 o ano começou com Joia Rara que acabaria sendo eleita no fim do ano a melhor novela ganhando o prêmio Emmy, o Oscar da TV mundial. Em abril estreou a nova versão de Meu Pedacinho de Chão. Com direção de Luiz Fernando Carvalho a novela conseguiu extrair dos atores desempenhos espetaculares e revelou novos atores. Dentre os destaques Irandhir Santos, Juliana Paes e Osmar Prado. Em agosto estreou a novela Boogie Oogie de Ruy Vilhena.


Geração Brasil fracassou no horáro por conta de elementos nerds que ninguém entendeu

A dor de cabeça do ano foi no horário das 19 horas. A emissora tentou fazer de Além do Horizonte uma versão tupiniquim de Lost, mas o público rejeitou e a novela saiu do ar sem deixar saudades. Em maio a emissora apostava suas fichas em Geração Brasil, da mesma dupla de autoras que dois anos atrás arrebentou em Cheias de Charme, só que desta vez a química falhou. Prejudicada pela Copa do Mundo a novela durante uma semana foi exibida em pílulas de três minutos. O horário eleitoral também prejudicou o desempenho da trama que foi completamente carregada de elementos nerd e o sotaque americano exagerado das personagens Pamela Parker e Megan, interpretadas por Cláudia Abreu e Isabelle Drummond. O capítulo final teve média de 19,5 pontos, a pior da história. Em novembro estreava Alto Astral que até agora vem surpreendendo com bons índices no horário.

No chamado horário nobre a novela das 9 teve momentos distintos. O ano começou com Amor à Vida, iniciada em 2013 e que terminou com o chamado beijo gay do vilão Félix alçando Mateus Solano ao status de ator do primeiro time.









Manoel Carlos se despediu de forma amarga, pois a novela não teve tramas que empolgassem o público, apesar do casamento entre Clara e Marina

Logo depois criou se toda expectativa para a última novela de Manoel Carlos, mas Em Família foi uma decepção total. Com uma trama arrastada e um personagem dúbio, Laerte que começou mocinho, mas terminou morto no último capítulo a trama obteve índices abaixo do esperado terminando com média de 30 pontos. A trama teve poucos destaques como Jairo e Juliana, personagens de Marcelo Mello Jr e Vanessa Gerbelli e o romance entre Clara e Marina, personagens de Giovanna Antonelli e Tainá Müller.








Chay Suede fez sucesso com o Comendador que na segunda fase foi interpretado por Alexandre Nero, Marjorie Estiano substituiu Drica Moraes e Marina Ruy Barbosa vira mulherão com a lolita Maria Ísis

Em julho estreou Império de Aguinaldo Silva. Como tema central a cobiça pelos diamantes, a novela vem tentando levantar os índices no Ibope. Dentre os destaques da trama o Comendador que na primeira fase foi intepretado por Chay Suede e depois por Alexandre Nero, a ninfeta Maria Ísis, personagem de Marina Ruy Barbosa e Drica Moraes na pele da vilã Cora, mas a atriz teve de ser substituída por Marjorie Estiano que havia interpretado Cora na primeira fase. Drica teve de se afastar por conta de uma faringite e o ritmo intenso das gravações.



Fernanda Gentil foi a grande estrela da cobertura da Globo na Copa 

A cobertura da Copa teve como destaque a jornalista Fernanda Gentil que brilhou não só nas entradas ao vivo como também ao chorar ao vivo em um link após o 7 x 1. Como prêmio assumiu o Globo Esporte em São Paulo enquanto o titular Tiago Leifert comanda o The Voice Brasil.



Patrícia Poeta saiu do JN e agora espera um novo projeto no entretenimento

No jornalismo o ano teve como destaque a saída de Patrícia Poeta do Jornal Nacional. A jornalista deixou a bancada em 31 de outubro depois de três anos. Segundo a crítica especializada sua saída se deu pelo fraco desempenho nas sabatinas com os presidenciáveis. Patrícia também causou uma gafe na Copa do Mundo quando foi flagrada bufando, ela explicou depois que era um exercício de fonoaudiologia. Falando em Copa a repórter Sabina Simonatto foi beijada duas vezes em dois links e gerou forte repercussão nas redes sociais.







Renata Vasconcellos deixou o Fantástico para ir pro JN e Poliana Abritta entrou em seu lugar, já o Hora 1 com Monalisa Perrone abriu um novo horário para a informação no começo da manhã

O Fantástico passou este ano por uma reformulação de seu formato, onde o estúdio e palco é também a redação e durante três meses as reuniões de pauta foram exibidas, mas não colou assim como os Fantcons. O programa ganhou uma nova vinheta de abertura resgatando o balé, só que desta vez uma única bailarina. Mesmo com todas essas mudanças o destaque segue sendo as reportagens investigativas. Na apresentação saiu Renata Vasconcellos que foi para o Jornal Nacional e entrou Poliana Abritta e logo na estreia ela mostrou uma tatuagem na perna direita, uma orquídea, fazendo com que muitos pensassem que era uma aranha. No começo de dezembro a Globo lança o Hora 1 da Notícia com apresentação de Monalisa Perrone às 5 da manhã e com isso acaba na TV o Telecurso que migra pra Internet.

E a emissora mudou de cara. Saiu o logo metálico que estava no ar desde 2008 e entrou um novo, totalmente clean e com movimento. Para 2015 a emissora terá telefilmes inspirados em grandes sucessos para comemorar seus 50 anos.

A retrospectiva prossegue neste domingo com o começo da parte esportiva e os destaques da velocidade.

Um comentário:

Kleber Nunes disse...

Sobre a saída dos apresentadores do Hoje em Dia acabo de ler no Notícias da Tv que eles foram tratados como os pastores da IURD e afastados sumariamente, agora qual é a credibilidade da Record? A cada erro eles vão se chamuscando, por isso que disse no texto que eles nunca serão iguais à Globo, podem contratar quem quiser que vocês não chegam aos pés da Globo, viu Recópia!