terça-feira, 8 de julho de 2014

HUMILHAÇÃO E VEXAME: BRASIL SOFRE GOLEADA HISTÓRICA DE 7 X 1 DA ALEMANHA E DÁ ADEUS AO HEXA

Ivo Gonzalez e Alexandre Cassiano/Ag. O Globo, André Mourão/Ag. O Dia, André Durão/globoesporte.comEduardo Nicolau e Wilton Junior (3)/AE, Hassan Ammar/AP e Adrian Dennis/AFP



Klose comemora o gol e o recorde Foto: ADRIAN DENNIS / AFP

JOgadores alemães comemoram o gol de Mueller Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo





Wilton Junior/Estadão - Felipão chama a responsabilidade de vexame no Mineirão

Wilton Junior/Estadão



Torcida Brasil Mineirão (Foto: Eduardo Nicolau / Agência estado)

Torcedor olha desolado para a máscara do ausente Neymar Foto: Ivo Gonzalez / Agência O Globo

Dizer o quê desse vexame?

Mineirão, Belo Horizonte, 8 de julho de 2014, o pior dia da história do futebol brasileiro, um dia que vai demorar anos pra ser esquecido. Uma derrota inacreditável, um massacre, um baile, resumo da ópera: VEXAME!. O Brasil só jogou nove minutos e nada mais porque o rolo compressor panzer iniciou a devastação com requintes de crueldade. O atropelamento alemão começou logo aos 11 minutos. Na cobrança de escanteio de Kroos a bola cruzou a área e Thomas Müller, livre de marcação só teve o trabalho de fuzilar Júlio César. O Brasil sentiu o gol e o que viria a seguir seria os seis minutos de apagão pra serem esquecidos da memória. Aos 23 minutos veio o segundo gol alemão. Fernandinho perdeu a bola no campo de defesa e a bola chegou em Müller que tabelou com Klose que teve de chutar duas vezes para vencer Júlio César. Foi o 16º gol dele que o faz tornar o maior artilheiro em Copas do Mundo superando Ronaldo Nazário. E o passeio alemão prosseguiu. Aos 24, Lahm cruzou e a bola passou por toda a área até encontrar Toni Kroos que sem marcação chutou forte para marcar o terceiro. O quarto gol veio menos de dois minutos depois, de novo com Fernandinho errando e perdendo a bola para Khedira que ao invés de chutar pro gol preferiu servir Kroos que acompanhava o lance e marcou seu segundo gol fácil, sem goleiro. Três minutos depois veio o quinto gol numa nova tabela entre Özil e Khedira que só teve o trabalho de tocar para o gol vazio. 5 x 0 em 30 minutos, diante da incredulidade muita gente começou a deixar o estádio antes mesmo do intervalo. Na segunda etapa Felipão tentou mudar o time com as entradas de Ramires e Paulinho, chegou a esboçar uma reação, mas todas as tentativas pararam na muralha Neuer. A Alemanha se mostrou perigosa nos contra ataques e mesmo tirando o pé chegou ao sexto gol com Schürrle, que livre escolheu o canto e marcou o sexto. E o mesmo Schürrle ainda fez o sétimo gol, recebendo de Müller e chutando forte no ângulo com Júlio César caído fora do gol. Willian ainda entrou em lugar de Fred, vaiado pela torcida e ainda teve tempo de Oscar fazer o gol de honra do Brasil, um gol sem comemoração e aplausos. Foi a pior derrota brasileira em todos os tempos em Copa do Mundo e a pior derrota em casa desde 1920. Depois dessa cacetada o time tenta juntar os cacos para a disputa do terceiro lugar sábado em Brasília e por favor, joguem com honra e dignidade. Hexa agora só quando mudarem de cabo a rabo a mentalidade e a estrutura do futebol brasileiro. Enquanto estiver gente dessa corja, quadrilha de ladrões liderada pelo PT e múmias como Eurico Miranda, José Maria Marin e Marco Polo del Nero que vai assumir a bomba chamada CBF vamos tomar chapuletadas. Que esse vexame fica como lição, uma dura lição pro nosso futebol e que essa será uma cicatriz que vai levar anos pra se apagar.

BRASIL 1 X 7 ALEMANHA

Data: 8 de julho de 2014
Horário: 17h00 (de Brasília)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Marco Rodriguez (MEX)
Assistentes: Marvin Torrentera (MEX) e Marcos Quinteto (MEX)
Cartões amarelos: Dante, aos 22 min. do 2°t (BRA)
Gols: Müller, aos 9 min., Klose, aos 22 min., Kroos, aos 24 min. e aos 25 min., e Khedira, aos 29 min. do 1°t; Schürrle, aos 23 min. e aos 33 min. do 2°t (ALE). Oscar, aos 45min do 2º tempo

BRASIL: Júlio César; Maicon, David Luiz, Dante e Marcelo; Luiz Gustavo, Fernandinho (Paulinho, no intervalo) e Oscar; Hulk (Ramires, no intervalo), Bernard e Fred (Willian, aos 23 min. do 2°t)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

ALEMANHA: Neuer; Lahm, Boateng, Hummels (Mertesacker, no intervalo) e Höwedes; Schweinsteiger, Khedira(Draxler, aos 31 min. do 2°t), Kroos e Özil; Müller e Klose (Schürrle, aos 12 min. do 2°t) 
Técnico: Joachim Löw

Um comentário:

Kleber Nunes disse...

Vai demorar muito tempo pra absorver esse vexame e agora só penso no seguinte. Com a volta do Brasileiro semana que vem quem é que quer saber de futebol, ainda mais com esses desmandos da corja da CBF e dos petralhas? Vamos voltar a ver estádios vazios e jogos de baixíssimo nível técnico. Será que não vai aparecer alguém para tentar salvar o futebol brasileiro da decadência?