terça-feira, 16 de agosto de 2016

Dia de ouro histórico no boxe, prata para a canoagem e duras derrotas para as mulheres

A terça feira olímpica reservou grandes emoções para o torcedor brasileiro que riu e chorou ao mesmo tempo. Riu de alegria com duas medalhas de dois humildes atletas, mas também chorou com derrotas e eliminações doídas para as mulheres.

BOXE FAZ HISTÓRIA COM OURO DE ROBSON CONCEIÇÃO

Fotos de Peter Cziborra/Reuters

Peter Cziborra/Reuters



Robson Conceição atropelou o francês e se torna o primeiro campeão olímpico brasileiro no boxe

Antes da Olimpíada começar Robson Conceição era apontado como candidato à medalha e comprovou isso a cada luta. Na final desta terça feira ele não deu chances ao francês Sofiane Oumiha por decisão unânime e conquistou o título de campeão olímpico no peso ligeiro, o que comprova a ascensão do boxe que começou há quatro anos em Londres com as medalhas conqustadas pelos irmãos Esquiva e Yamaguchi Falcão. Esta foi a quinta medalha na história do boxe na história que ainda conquistou dois bronzes com Servílio de Oliveira em 1968 e Adriana Araújo em 2012.

ISAQUIAS QUEIROZ FAZ HISTÓRIA NA CANOAGEM

Clayton de Souza/AE

Isaquias Queiroz com a medalha de prata na prova de 1000m da canoagem de velocidade Foto: Clayton de Souza / ESTADAO/NOPP

Isaquias Queiroz morde a medalha de prata numa conquista histórica para a canoagem

A primeira medalha do dia saiu na canoagem com o baiano Isaquias Queiroz na prova C1 1000 m. Ele foi superado pelo alemão Sebastian Brendel que é campeão mundial numa disputa definida nos metros finais. O pódio coroa um grande ciclo em que foi campeão mundial e pan americano. E pensa que acabou, ele volta para disputar mais duas provas e quem sabe não vem mais medalhas. Logo após a conquista da medalha ele declarou à imprensa para que os políticos parem de brigar por si e passem a apoiar o esporte.

A DESPEDIDA FRUSTRANTE DE FABIANA MURER

Daniel Marenco/Ag. O Globo



Fabiana Murer saúda a torcida depois de fracassar na tentativa de passar de 4,55

O sonho de uma medalha olímpica para Fabiana Murer acabou antes do previsto. E foi de cara nas eliminatórias. Ela não conseguiu passar de 4,55 nas três tentativas e acabou desclassificada em último. A saltadora alegou o mau desempenho à uma hérnia de disco diagnosticada antes do começo da Olimpíada e esta pode ter sido a última da carreira, pois ela confirmou sua aposentadoria ao final do ano, só temos mais que agradecer. Valeu Fabiana!

FIM DO SONHO DOURADO NO FUTEBOL FEMININO

Jorge William/Ag. O Globo e Fábio Motta/AE





Marta é amparada após a derrota nos pênaltis que obriga o Brasil a brigar pelo bronze

A seleção feminina de futebol viu mais uma vez o sonho do ouro morrer na praia. Diante da torcida que lotou o Maracanã nossas guerreiras e injustiçadas lutaram até o fim, mas esbarraram na retranca da Suécia que entrou em campo com a proposta de segurar para tentar os contra ataques. Durante 120 minutos o Brasil teve mais volume de jogo só que faltou o gol. O jogo então foi para as disputas de pênaltis e o Brasil perdeu dois com Cristiane e Andressinha. A Suécia errou um e venceu a série por 4 x 3 e vai decidir a medalha de ouro com a Alemanha que venceu o Canadá por 2 x 0. O Brasil vai disputar o bronze contra as canadenses em Belo Horizonte.

ADEUS FRUSTRANTE PARA AS MENINAS DO HANDEBOL

Marcos Tristão/Ag. O Globo/NOPP

Deonise Fachinello chora ao lado Eduarda Amorim após derrota para a Holanda Marcos Tristao / NOPP

Duda e Denise choram o fim do sonho da medalha em casa

A seleção feminina de handebol se despediu do sonho da medalha inédita em casa com uma derrota dura para a Holanda, vice campeã mundial por 32 x 23. Pesou para a derrota a série de falhas defensivas e a falta de poder ofensivo. Para algumas jogadoras como Mayssa esta pode ter sido a partida de despedida com a camisa da seleção brasileira.

BRASIL NA FINAL MASCULINA DO VÔLEI DE PRAIA

Fotos de Marcelo Carnaval/Ag. O Globo



Alison e Bruno Schmidt passa pelos holandeses e vai pra final com a prata garantida

O Brasil garantiu mais uma medalha, no mínimo a medalha de prata. A dupla Alison e Bruno Schmidt passou pelos holandeses Meeuwsen e Browner por 2 sets a 1. O adversário na final sairá do duelo entre Itália e Holanda.

Larissa e Talita lamentam a derrota para a dupla alemã Foto: Marcelo Carnaval / Agência O Globo

Já a dupla Larissa e Talita foi derrotada pelas alemãs Ludwig/Walkenhorst por 2 sets a 0 e espera sua adversária na disputa entre Walsh/Ross e Ágatha/Bárbara.

O desempenho dos outros brasileiros

- A seleção de polo aquático masculina lutou, mas não foi páreo para a Croácia, atual campeã olímpica por 10 x 6 e agora disputa do quinto ao oitavo lugar contra a Hungrua.

- No trampolim de 3 m o brasileiro César Castro terminou a final em nomo lugar

- No levantamento de peso Fernando Reis obteve a melhor participação do país na história com o quinto lugar na categoria até 105 kg.

- Na maratona aquática de 10 km Allan do Carmo terminou a prova na 17ª posição.

- O hipismo brasileiro está na final por equipes e na liderança. Dos quatro cavaleiros apenas Stephan Barcha não seguirá pos ele foi desclassificado por conta de usar esporas em seu cavalo que ficou machucado. O Brasil lidera ao lado de Grã Bretanha e Holanda, todos sem uma única falta ou punição.

- Robert Scheidt ficou sem medalha desta vez. O maior medalhista da história junto de Torben Grael ficou na quarta colocação da classe Laser. Na regata da medalha ele chegou em primeiro, mas o neozelandês Sam Meech chegou na quarta colocação garantindo o bronze. Na classe Finn Jorge Zarif chegou na quarta posição geral e terceiro na regata das medalhas. Na 470 o Brasil não terá chance de medalha: no feminino Fernanda Oliveira e Ana Barbachan ficaram no nono lugar geral e na masculina Henrique Haddad e Bruno Bethlem terminaram na 22ª posição. A dupla da 49er Martine Grael e Kahena Kunze está na final da classe e tem boas chances de conquistar uma medalha de ouro, pois a dupla está empatada em segundo lugar com a Espanha.

- Na ginástica Francisco Barreto ficou na quinta posição na barra fixa. Destaque para a americana Simone Biles que conquistou sua quarta medalha de ouro e quinta nesta Olimpíada, no solo.

Johannes Eisele/AFP

Medalhista de ouro no salto com vara dá show de espírito olímpico (Foto: Johannes EISELE / AFP)

E Thiago Braz recebeu na noite de hoje a medalha de ouro no salto com vara e fez questão de pedir à torcida aplausos para o francês Renaud Lavillenie, medalha de prata que chorou durante a entrega da medalha. No momento do hino o atleta prestou continência como virou moda entre medalhistas brasleiros que são militares.

João Victor e Éder Souza estão fora da final dos 110 m com barreiras assim como Jorge Vides, Bruno Lins e Aldemir Gomes nos 200 m rasos, Maila Machado e Fabiana Moraes nos 110 m com barreiras e Keila Costa no salto em distância também deram adeus à disputa.

E o Brasil herda uma medalha de Pequim. A Rússia perdeu a medalha em re - exame antidoping e com isso o revezamento feminino 4 x 100 fica com a medalha de bronze, a 16ª nos jogos disputados em 2008.

Quadro de medalhas

PAÍSES
Medalhas Estados UnidosEUA28282783
Medalhas Grã-BretanhaGBR19191250
Medalhas ChinaCHN17151850
15ºMedalhas BrasilBRA34411


CLICK OLÍMPICO DO DIA

Vanderlei Almeida, Yuri Cortez/AFP e Eduardo Knapp/Folhapress 







Hoje nosso Click será triplo. A primeira foto traz o primeiro ouro da história do boxe brasileiro com Robson Conceição no peso ligeiro, o segundo é o emocionado abraço de Isaquias Queiroz com sua mãe após a conquista da medalha de prata, a primeira da canoagem e a terceira é a imagem da frustração das meninas do futebol que foram eliminadas da briga pelo ouro contra as suecas. Três imagens distintas de um dia de fortes emoções para o Brasil.

Nenhum comentário: