quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Retrospectiva 2014: São Paulo sofre com crise hídrica, cinegrafista morre em protesto e morte estúpida do menino Bernardo marcam ano no país

A Retrospectiva 2014 prossegue e hoje é dia de falarmos de noticiário nacional. Um ano repleto de acontecimentos inimagináveis. Este ano São Paulo sofreu como nunca com a crise no abastecimento de água, no Rio os protestos vitimaram o cinegrafista Santiago Andrade e no Rio Grande do Sul uma cidade enlutada com a morte estúpida do menino Bernardo.

Um estado à mercê dos presos





Ana Clara foi uma vítima da leniência do governo maranhense e o presídio de Pedrinhas convive com mortes bárbaras lembrando a Idade Média. 

O estado do Maranhão foi palco logo no começo do ano de um cenário bárbaro que lembrou a Idade Média. O presídio de Pedrinhas foi palco de 17 assassinatos de presos durante o ano. As mortes são carregadas de requintes de crueldade com mutilações e degolações num verdadeiro ato de insanidade. Em 2013 62 presos morreram em Pedrinhas, o que mostra a falência do sistema prisonal brasileiro. Pedrinhas representa bem isso, pois o presídio é dominado por facções criminosas em guerra dentro de uma estrutura precária. E o estado foi palco também de uma morte cruel. Logo no dia 3 de janeiro a pequena Ana Clara de apenas 6 anos foi queimada viva dentro do ônibus e morreu três dias depois. Mesmo com o aparato da Força Nacional de Segurança as rebeliões continuaram.

A morte em pleno protesto







O momento em que o rojão atinge em cheio a cabeça de Santiago que morre: a ativista Sininho que integrava os Black Blocs estava envolvida, foi detida e liberada depois

Antes da Copa do Mundo o país vivia uma onda de protestos. Em 6 de fevereiro era realizado mais um protesto, desta vez contra o aumento das tarifas de ônibus na Central do Brasil no Rio de Janeiro. O cinegrafista Santiago Andrade da TV Bandeirantes estava lá à trabalho para fazer as filmagens, quando de repente um rojão disparado por um dos manifestantes atinge a cabeça do cinegrafista que cai desacordado. Levado em estado grave ao hospital Souza Aguiar ele morre quatro dias depois. Sua morte gera revolta por parte das autoridades e a Polícia investiga o caso achando dois suspeitos de terem disparado o artefato contra Santiago. O artefato foi lançado à cinco metros de distância e a Polícia atribui o caso aos Black Blocs, os radicais que causam destruição. Dois deles foram presos e aguardam julgamento: já Elisa Quadros, a Sininho chegou a ser presa, mas foi liberada.

A morte na flor da idade para o pequeno Bernardo





Bernardo, vítima do casal do mal: o pai e a madrasta são os principais suspeitos de terem matado o menino

Mais um crime que chocou o país este ano envolveu crianças. O menino Bernardo Boldrini tinha apenas 11 anos e sua morte brutal chocou o país. Bernardo morava na cidade de Três Passos e seu corpo foi encontrado no dia 4 de abril na cidade de Frederico Westphalen. A Polícia suspeitou de que o pai do garoto e a madrasta estavam envolvidos. Leandro Boldrini e Graciele Ugulini foram presos dias depois do crime. Outros dois suspeitos foram presos logo depois e todos respondem pelos crimes de ocultação de cadáver e homicídio qualificado. Cada um tem sua versão do crime: o pai e o motorista dizem não ter ligação com o crime, a assistente social que foi presa disse que não teve participação e a madrasta deu a desculpa esfarrapada de que ele morreu vítima de ingestão de medicamentos. Nos meses que se seguiram as investigações apontaram que antes da morte Bernardo discutiu com o pai e a madrasta mostrando que a vida dele era um inferno. Os acusados esperam julgamento.

Tragédias cotidianas que marcaram o Brasil



- 28 de janeiro: Na Linha Amarela um caminhão com a caçamba levantada derrubou uma passarela e matou cinco pessoas.

- 22 de abril: O dançarino Douglas Pereira é encontrado morto na favela Pavão Pavaozinho. Durante o ano houve vários confrontos entre PMs e traficantes nas UPPs.



- 2 de maio: Um torcedor do Sport é morto no estádio do Arruda ao ser atingido por um vaso sanitário.





- 3 de julho: Um viaduto desaba em Belo Horizonte matando duas pessoas. A empresa responsável pelo projeto foi acusada de cometer falhas na execução da obra.

Fim da linha para o médico monstro



Escoltado por policiais federais Roger Abdelmassih é conduzido até a carceragem: fim de uma caçada que durou três anos

Roger Abdelmassih, que um dia foi considerado um dos papas da fertilização in vitro no Brasil agora é um monstro enfim na cadeia. Foragido da justiça desde 2011 ele vivia no Paraguai e com a eficiência da Polícia foi localizado e extraditado ao Brasil em 19 de agosto. Ele havia sido condenado a mais de 270 anos de prisão por estuprar 19 mulheres que tiveram o sonho de serem mães frustrados. Um triste fim para o médico que um dia era o melhor, mas que virou o monstro.

Brasília anormal



Funcionário do Saint Paul feito refém pelo sequestrador, só que a arma era de brinquedo

Dois casos em menos de dois meses causaram rebuliço na capital do país. Primeiro em 29 de setembro quando um maluco invadiu o Hotel Saint Paul fazendo vários funcionários reféns durante sete horas. Ele acabou preso. Menos de dois meses depois um outro lunático tentou invadir o Palácio do Buriti e fez uma mulher refém. O ato insano durou menos de uma hora.

Os serial killers que aterrorizaram o país





Tiago e Saílson: mentalidades perturbadas e mesmo objetivo; matar

Dois monstros na forma de gente aterrorizaram o país em 2014. Em Goiás o vigia Tiago Henrique da Rocha confessou ter matado 39 pessoas durante três anos. Já na Baixada Fluminense Saílson José das Graças confessou ter matado 42 pessoas e não se arrepende do que fez. E prometeu voltar ao crime após sair da prisão.

FATO DO ANO: A fonte secou em São Paulo





Um dos rios que abastece o sistema Cantareira completamente seco e com isso a população vai atrás de água para conter a crise: falta de planejamento causou a crise

Bem importantíssimo na vida das pessoas a água virou este ano um item raro em São Paulo. A falta de chuvas abundantes e erros no planejamento fizeram dessa seca a pior do século, lembrando o semiárido nordestino. O Sistema Cantareira, o mais importante reservatório hídrico do estado foi severamente atingido pela seca. Para abastecer uma cidade com mais de 10 milhões de pessoas na região metropolitana o Sistema Cantareira tinha no começo do ano 10% e foi diminuindo gradativamente a partir de maio quando as chuvas escassearam. No verão o calor intenso levou muita gente aos clubes para se refrescarem. Mas ao mesmo tempo o nível dos reservatórios começou a cair e em maio atingiu 9%, o nível mais crítico. Assim a Sabesp, companhia de água decidiu pelo racionamento de água em vários pontos da região. Mesmo sabendo da crise o governador Geraldo Alckmin dizia que não havia problemas no fornecimento de água. Chegou a cogitar - se o uso do volume morto que fica abaixo das comportas para suprir a falta de água. As obras emergenciais não surtiram efeito e acabaram agravando o problema fazendo com que os níveis dos rios Alto Tietê e Claro chegassem a 7%. A ANA (Agência Nacional das Águas) decidiu retirar a segunda cota do volume morto para garantir o abastecimento de água, mas a medida não surtiu efeito assim como a construção de duas estações para produzir água em reúso que captariam esgoto e transformariam em água potável. Com o fracasso das medidas, Alckmin foi até o Palácio do Planalto pedir recursos ao governo para combater o problema. Os recursos seriam de R$ 3,5 bilhões para realizar as obras, e olha que ele negou que não havia crise. E aí governador, de quem é a culpa pela crise hídrica?

A retrospectiva prossegue e nesta quinta o noticiário internacional.

Nenhum comentário: