sábado, 2 de agosto de 2014

O Mês em Resumo: Um julho intenso com Alemanha campeã, vexame da seleção, início da campanha eleitoral, tensão no Oriente Médio, avião abatido na Ucrânia e perdas significativas

O quadro O Mês em Resumo traz hoje o resumo dos acontecimentos que marcaram o mês de julho.







A coroação de um trabalho de reformulação bem feito que começou há 14 anos e que chegou ao seu ápice. Com uma geração de talentosos jogadores em constante processo de renovação, a Alemanha colhe finalmente os frutos dessa evolução significativa e conquista o tetra ganhando a Copa do Mundo do Brasil. A geração de Schweinsteiger, Özil, Müller, Kroos, Klose e cia venceu a Argentina na final do Maracanã em 13 de julho com gol de Mario Götze. O título alemão foi a combinação de planejamento, trabalho e a simpatia que agradou os brasileiros, apesar deles aprontarem pra cima da gente.... Desde o primeiro dia assim que chegou à Santa Cruz Cabrália eles ganharam a simpatia, em especial o atacante Podolski que postou mensagens em português nas redes sociais. Lionel Messi foi eleito o craque da Copa.



Aos 36 anos Miroslav Klose supera Ronaldo e se torna o maior artilheiro de todos os tempos em Copas do Mundo com 16 gols marcados, um deles o segundo nos 7 x 1 sobre o Brasil.

O título alemão coroou também o sucesso de organização da Copa. Mais de 600 mil estrangeiros fizeram a festa nas 12 cidades e movimentou a economia.



A Copa para o Brasil começou a ser perdida no jogo contra a Colômbia. Parecia uma jogada normal, mas foi um lance criminoso e maldoso. A joelhada de Zúñiga tirou Neymar da competição. O atacante brasileiro fraturou uma vértebra. O pior ainda estaria por vir.









8 de julho de 2014, um dia que entrou pra história do futebol brasileiro da pior forma. Bem diferente de 1950 o Brasil foi despedaçado sem piedade. O Maracanazo de 1950 foi superado pelo Mineiratzen alemão. Um vexame histórico, uma humilhação sem dó. O Mineirão foi palco da maior derrota brasileira em todos os tempos, uma derrota que demorará séculos para ser cicatrizada. Sem Neymar e Thiago Silva o Brasil virou presa fácil. Só no primeiro tempo o time já perdia de 5 x 0, com uma pane geral de seis minutos, intervalo de tempo suficiente pra Alemanha meter quatro gols em sequência e com tanta facilidade diante de um time desorganizado taticamente. A seleção alemã ainda teve tempo de fazer mais dois e Oscar ainda fez o gol de honra. Silêncio e lágrimas nas arquibancadas. 7 x 1, a derrota mais vergonhosa da seleção pentacampeã mundial. O sonho do hexa foi detonado numa trágica semifinal. E pra piorar, nova derrota para a Holanda na decisão do terceiro lugar e a seleção termina num opaco quarto lugar com a pior defesa do torneio.





As derrotas na reta final fizeram com que Felipão perdesse o cargo junto de Parreira. Diante da repercussão e clamor por mudanças na estrutura do futebol a CBF dá de ombros e traz de volta Dunga para ser o novo técnico da seleção brasileira e o ex- goleiro Gilmar Rinaldi foi escolhido o coordenador de seleções.



Com atuante participação da Polícia Federal foi desmantelada uma quadrilha que desviava e comercializava ingressos para os jogos da Copa do Mundo. O diretor executivo da Match Raymond Whelan foi apontado como elo de ligação entre a entidade e a quadrilha liderada pelo francês Lamine Fofana.







A campanha eleitoral começou pra valer e os principais candidatos à presidência iniciaram a caça ao voto dos eleitores. A derrota da seleção não teve influência nenhuma e Dilma Rousseff mantém a liderança nas pesquisas, mas Aécio Neves vem crescendo e pode incomodar a petista que é candidata à reeleição.





Quatro meses depois de ter um avião desaparecido em pleno voo, a Malaysia Airlines voltou à ser manchete da pior forma possível. No dia 17 de julho um avião com 298 passageiros foi abatido por um míssil disparado por separatistas da Ucrânia. Não houve sobreviventes. A maioria dos passageiros era de holandeses. O desastre ampliou a crise política entre Rússia e Ucrânia. O mês foi terrível para a aviação. No dia 23 um avião da TransAsia se espatifou ao pousar em um aeroporto em Taiwan matando todos os seus 48 ocupantes e no dia seguinte uma aeronave da Air Algerian caiu próximo ao Máli com 118 pessoas. Ninguém sobreviveu.





Um novo confronto explode no Oriente Médio. O exército de Israel e o Hamas entraram em conflito na Faixa de Gaza. Os combates já mataram mais de 1300 pessoas e a ONU juntamente dos Estados Unidos se esforçaram para que houvesse um cessar fogo, mas ninguém respeitou a ordem e os confrontos prosseguem. A crise em Israel fez com que o Brasil entrasse na discussão, mas acabou levando o troco que veio do porta voz do Ministério das Relações Exteriores Yigal Palmor que chamou o Brasil de anão diplomático.



Fracassou a tentativa de negociação da dívida externa e a Argentina decretou novo calote, o segundo em 13 anos. A dívida chega a US$ 1 bilhão.



No dia 3 a estrutura de um viaduto desabou, ferindo 21 e matando duas pessoas em Belo Horizonte. A empresa responsável pela obra é suspeita de cometer falhas na execução da obra que fazia parte do sistema de ligação que deveria estar pronta na Copa, mas não ficou pronta.



Com presença de autoridades foi inaugurado o Templo de Salomão, réplica construída pela Igreja Universal do Reino de Deus do Bispo Edir Macedo. A obra procura se aproximar dos símbolos do judaísmo e custou R$ 680 milhões.





Um mês pesado com muitas mortes, principalmente na literatura com a perda de quatro escritores. No dia 3 morre Ivan Junqueira, que foi tradutor de T. S Elliott. No dia 18 morre o escritor João Ubaldo Ribeiro, autor de mais de 20 obras como Sargento Getúlio e Viva o Povo Brasileiro, um romance que conta a História do Brasil através de personagens anônimos. No dia 19 morre Rubem Alves, autor de 120 livros dos mais variados assuntos e no dia 23 o poeta e escritor Ariano Suassuna morre depois de sofrer um AVC. Suassuna escreveu obras voltadas à cultura nordestina, sendo sua maior obra a peça O Auto da Compadecida, escrita em 1955 e que o fez ficar conhecido em todo o país.



O político Plínio de Arruda Sampaio em mais de 50 anos de carreira foi deputado, teve seu mandato cassado, se exilando no Chile e EUA, voltou ao Brasil e se engajou na luta contra a ditadura, ajudou a fundar o PT, mas deixou o partido triste com o envolvimento do partido no mensalão e foi para o PSOL onde foi candidato nas eleições presidenciais de 2010. Plínio de Arruda Sampaio morre no dia 8 devido à um câncer nos ossos, aos 83 anos.



Além de médico, o Doutor Osmar de Oliveira era jornalista e fervoroso torcedor do Corinthians. Com passagens pelas principais emissoras de TV do país ele não esteve na Copa, pois complicações o mataram em 11 de julho aos 71 anos.









O argentino Di Stéfano jamais jogou uma Copa do Mundo e foi contemporâneo de Puskas. Jogou no Real Madrid e marcou 418 gols em mais de 500 jogos. Conhecido como Flecha Loura, Di Stéfano ganhou nove títulos pelo time merengue. No dia 7 ele morre de infarto aos 88 anos. Outras mortes no futebol foram a do ex- atacante Assis que junto de Washington formou o Casal 20 do Fluminense campeão brasileiro em 1984. Assis morreu no dia 6. No dia 17 morria o ex - árbitro Armando Marques, que ficou marcado por um erro histórico na decisão do Campeonato Paulista de 1973 ao errar na contagem e por conta desse equívoco a FPF declarou Santos e Portuguesa campeões. No dia 30 morre o cartola Julio Grondona, que presidiu por 35 anos a AFA e era um dos homens mais poderosos do mundo do futebol. Sob seu comando a Argentina ganhou a Copa do Mundo de 1986 e duas medalhas de ouro nas Olimpíadas de Atenas e Pequim.



Outras mortes do mês: O guitarrista Johnny Winter, a escritora Nadime Gordimer, prêmio Nobel de Literatura em 1991, o empresário Norberto Odebrecht, o humorista Fausto Fanti do grupo Hermes e Renato e o ator James Garner.

Em agosto tem mais resumo mensal.

Um comentário:

Kleber Nunes disse...

Passados 25 dias do vexame de 8 de julho vejo a CBF falida e pelo jeito o Dunga declarou que aqui não foi terra arrasada. Essa turma do futebol não aprende mesmo. E sobre a eleição ainda é cedo pra avaliar cada candidato, pois só mesmo com o horário político é que irei analisar melhor as propostas de cada candidato.