quarta-feira, 23 de julho de 2014

Mais uma perda na literatura com a morte de Ariano Suassuna

Em março de 2010, Ariano Suassuna deu uma aula-espetáculo durante o Festival de Teatro de Curitiba (Foto: Lenise Pinheiro / Folhapress)

A literatura brasileira sofreu mais uma perda em uma semana. Depois de Rubem Alves e João Ubaldo Ribeiro hoje foi a vez de Ariano Suassuna nos deixar aos 87 anos. Suassuna sofreu na segunda feira um AVC hemorrágico e morreu na tarde de hoje devido à uma parada cardíaca. Dentre suas obras mais importantes se destaca O Auto da Compadecida que reunia 16 personagens e três contos. A obra ganhou diversas adaptações no teatro, série de TV e filme dirigidos por Guel Arraes. Ao todo foram 15 peças teatrais e seis romances de ficção. Sua obra reunia características do modernismo, simbolismo e barroco com traços culturais do Nordeste como a literatura de cordel. Mesmo tendo sido internado duas vezes no ano passado se manteve ativo e no carnaval deste ano foi homenageado no bloco Galo da Madrugada. Ele ocupava a cadeira 32 da Academia Brasileira de Letras desde 1990 e fundou o Teatro Popular do Nordeste e o Movimento Popular Amoral. O velório está marcado para esta noite no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo e o enterro será amanhã.

Nenhum comentário: